Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, agosto 25, 2009

Pessoas inteligentes se matam mais?


Ontem comecei a dar aulas de Estatística para Pedago na Filô. Então aqui vão algumas reflexões sobre Estatística e liberdade humana: é possível prever suicídios? Onde fica a questão da liberdade humana neste ato existencial?

No início da história da Estatística as pessoas ficaram chocadas com o contraste entre livre-arbítrio individual e o poder preditivo da Estatística. Por exemplo, se a taxa de suicídio de um país tem sido de cinco pessoas por cem mil habitantes (como no Brasil), podemos prever o número de suicídios a serem cometidos no ano seguinte, com certa margem de erro. Mas não podemos prever exatamente quem vai se suicidar.

É claro que a previsão pode falhar bastante, por exemplo se estourar uma guerra (as pessoas se suicidam menos durantes as guerras, possivelmente por serem tempos de maior coesão social). Em todo caso, ao contrário do que acreditavam os existencialistas, o ato do suicídio não é livre (a maior parte dos suicídios está relacionada a depressões clínicas). Mas outros fatores entram na conta, por exemplo certos fatores culturais.


A taxa de suicídio varia bastante de país para país e pode refletir certa aceitação cultural do suicídio, menor dose de exposição à luz solar, genética da população, urbanização e inúmeros outros fatores. Os dez países com maior taxa de suicídio são.

Country Males Females Total pop. Year

Lithuania 68.1 - 12.9 - 38.6 - 2005
Belarus 63.3 - 10.3 - 35.1 - 2003
Russia 58.1 - 9.8 - 32.2 - 2005
Slovenia 42.1 - 11.1 - 26.3 - 2006
Hungary 42.3 - 11.2 - 26.0 - 2005
Kazakhstan 45.0 - 8.1 - 25.9 - 2005
Latvia 42.0 - 9.6 - 24.5 - 2005
Japan 34.8 - 13.2 - 23.7 - 2006
Guyana 33.8 - 11.6 - 22.9 - 2005
Ukraine 40.9 - 7.0 - 22.6 - 2005

Nota-se também que a taxa de suicídios entre homens é bem maior que entre as mulheres (embora as tentativas de suicídio sejam maiores entre as mulheres...). Demograficamente, sabe-se também que é mais alta a taxa entre jovens e idosos. Sabe-se também que, por motivos culturais, pessoas religiosas se suicidam menos.

Ser caucasiano também é um fator auxiliar. Finalmente, ter alto QI predispõe ao suicídio. Uma das teorias aventadas para explicar isso se refere ao comportamento de baixa vinculação social demostrado por pessoas de alto QI no extremo do espectro autista (vulgo "nerd"). Um amigo existencialista já me disse que o suicídio é o ato mais racional e ecologicamente correto que um ser humano pode fazer. Então não é de se surpreender que pessoas racionais sejam mais predispostas a esta opção.

Quanto ao fator temporal, é mito que as pessoas se suicidem mais no inverno ou na época do Natal. Mas é verdade que a taxa de suicícios aumenta na segunda-feira!

Sem querer brincar com assunto sério, eu dou um conselho para os meus amigos homens cientistas de alto QI caso queiram evitar a tentação do suicídio. Seja irracional: arranje uma namorada e tenha filhos. Passe seus genes de alto QI para as gerações futuras! Pelo menos tente ser um Leonard, não um Sheldon. Você vai ficar tão atarefado tentando sustentar seus filhos com o parco salário de professor que não vai sobrar tempo para pensar em se matar...

PS: Takata, por favor considere que o parágrafo acima não é machista. Eu não tenho conselhos para minhas amigas nerds porque considero que elas são mais inteligentes e bem resolvidas do que meus amigos nerds...

PS2: Se a coesão social e sociabilidade forem os principais fatores de prevenção ao suicídio, então pode-se prever que a taxa de suicídio no Brasil deve decair dramaticamente durate as copas do mundo. A verificar...

Um comentário:

Anônimo disse...

Temporão, ha algo errado com o seu protocolo...

Só o Paraná conta com 2.853 casos confirmados de gripe A e 154 óbitos. Enquanto á Europa tem 43152 casos e 93 óbitos. Será a falta do medicamento Tamiflue nas primeiras 48 hora para todos os casos, como é feito na Europa, Japão e USA?
Dados atualizados PR (http://www.novagripe.pr.gov.br/)