Ocorreu um erro neste gadget

domingo, agosto 30, 2009

Mythbusters da ciência (I)


Caro Osame,

Isto não é o uso de um "Argumentum ad Verecundiam" (apelo à autoridade) ou "Magister Dixit" (meu mestre disse) (definição na wikipedia: argumentação baseada no apelo a alguma autoridade reconhecida para comprovar a premissa.)?

Um abraço!

Respondo (com um argumento de autoridade?):


“In matters of science,” Galileo wrote, “the authority of thousands is not worth the humble reasoning of one single person.”(1)

Doing battle with the Aristotelian professors of his day, Galileo believed that appeal to authority was the enemy of reason. But, contrary to Galileo’s famous remark, the fact is that authority is of fundamental importance to science. If a paper’s author is a famous scientist, I think the paper is probably worth reading. However, an appeal from a scientific wanna-be, asking that his great new discovery be brought to the attention of the scientific world, is almost surely not worth reading (such papers arrive in my office, on the average, about once a week). The triumph of reason over authority is just one of the many myths about science, some of which I’ve already discussed.

(1) I found this statement framed on the office wall of a colleague in Italy in the form, “In questioni di scienza L’autorità di mille non vale l’umile ragionare di un singolo.” However, I have not been able to find the famous remark in this form in Galileo’s writings. An equivalent statement in different words can be found in Galileo’s Il Saggiatore (1623). See Andrea Frova & Mariapiera Marenzona, Parola di Galileo 473 (1998).

PS: Sendo um pouco mais preciso, Dedalus, o argumento de autoridade não justifica premissas em argumentos lógicos (na verdade, por definição, premissas são afirmações injustificadas). No discurso de convencimento social (que não é um discurso lógico), o argumento de autoridade é importante. Exemplo: Zezinho da esquina diz que Marina é criacionista, mas o filósofo da ciência Fulano de tal e o cientista politico Beltrano de tal garantem que Marina não é criacionista.

Agora, se você prefere as opiniões de Zezinho da esquina em vez da de filósofos e cientistas, quem sou eu para argumentar contra?

6 comentários:

Dedalus disse...

Caro Osame,

Obrigado pela sua exposição de idéias. Quem dera os debates fossem sempre assim... Parece que a minha cutucada fez com que você fosse buscar mais argumentos. Isso é bom.

No discurso de convencimento social é óbvio que as opiniões de autoridades reconhecidas terão mais força mesmo; afinal, elas não foram reconhecidas como autoridades à toa.

No entanto, se fossemos sempre deixar de pensar para ouvir apenas filósofos e cientistas que tipo de sociedade teríamos? Para mim, a maioria dos filósofos e cientistas é ou ligada à burguesia ou quer ser parte da burguesia (em resumo, ou são da elite ou da classe média, em sua esmagadora maioria); politicamente, não é difícil imaginar que os cientistas e filósofos possam ter interesses diferentes dos da maioria da população. No caso da escolha de candidatos e ideologias, os cientistas e filósofos tendem a não ser tão racionais como deveriam ser, e tendem a agir como homens que são. Lembre-se: houve cientistas e filósofos que apoiaram o nazismo (não foram tão poucos assim, sendo que Heisenberg e Heidegger, eu acho, são exemplos desse tipo, e ambos eram sujeitos brilhantes).

Enfim, eu, que sou um Zezinho da esquina que por vocação faz ciência, prefiro ouvir os outros e, depois de ouví-los, tento pensar por mim mesmo. Não busco como amparo ou apoio a posição de fulano ou de cicrano, mas sim se a minha escolha vai ser benéfica ou prejudicial e a quem ela vai ser benéfica ou prejudicial: nisso, nessa visualização de prós e contras, é que muito me ajudam os comentários dos outros.

Em resumo, se você prefere seguir "A onda", tudo bem: a decisão é sua; mas não tente me convencer dizendo que se eu não seguir as autoridades ou a maioria eu vou estar errado. As autoridades e a maioria também erram.

Um abraço!

Luiz Bento disse...

Mais um zezinho para a lista. Ainda mais quando os "filósofos e cientistas" ouvidos pela grande mídia são escolhidos a dedo. Debates sobre cotas e o governo lula por "filósofos e cientistas" no Jornal o Globo são uma verdadeira piada.

Osame disse...

Nossa, o Dedalus me acusa de ser cientificista e tecnocrata, e o João me acusa de não dar o devido valor à ciência e de compactuar com pseudocientistas... Acho que não estou conseguindo me fazer entender...

Dedalus disse...

Caro Osame,

Não precisa assumir o papel de vítima: eu não lhe acusei de ser "cientificista e tecnocrata" - se eu lhe acusei de algo, foi de se deixar levar por uma onda de entusiasmo (tal como boa parte da classe média, que se acha mais esclarecida que o populacho), sem bons argumentos para isso. Tanto achei que você não tinha bons argumentos, que tentei rebatê-los...

Um abraço!

Joao disse...

Osame:

VOce compactua com pseudocientistas? Minha nossa!

Osame tenho um amigo que acredita no Reiki, na aura e temos tido longas discuções ao longo dos anos. Moralmente é uma pessoa muito decente e como profissional de ciencia é optimo. Não mistura as coisas. Como ele consegue, não me pergunte. Nunca compreendi. Acho que ele tambem não. Eu confiaria nele para decisões cientificas e morais. TAl como o Osame confia na Marina. Mas pessoas que sejam capazes de separar tão bem as aguas e estar embrenhadas ate ao pescoço em ambas é raro. Mais tarde ou mais cedo a maior parte delas acaba dizendo " a ciencia não explica tudo" como argumento, ou " é preciso ter um expirito aberto "; ou "a vontade de Deus é.." para justificar uma acção. Isso para quem lidera uma Nação não é desejavel. Se Marina consegue separar as aguas não me deixou confiante. Ela coloicou o Modelo evolutivo ao nivel do criacionismo (na realidade um pouco abaixo). Quer dizer que acredita naquela charada anti ciencia. Porque o criacionismo é anti-ciencia. Ela pensa que mutações sao todas más, que a datação radiometrica é uma fraude, que a mineralogia é treta, que o big bang é ciencia naturalista OU então vai ter de continuar a dizer que acredita porque tem fé e não porque faz sentido ou é racional. E então Osame, o argumento pela fé vai parar aonde? Como voce consegue lidar com esse conceito e prever para que vai ser usado? A sua aposta, é em conhecer a Marina e achar que apesar de idiosincratica, ela ira tomar a decisão certa. Mesmo que depois diga que foi por fé. Eu prefiro que quem toma decisões tenha uma modo claro de sustentar a sua argumentação. E que se apoie na ciencia. Essa coisa que não explica tudo mas é o melhor que a gente tem como sistema cognitivo.

Voce tem fé que conhece a Marina. E contra isso eu sei que não vou conseguir mudar sua opinião. So espero que a Marina, como o Deus dela, escreva direito por linhas tortas.

Mas de qualquer modo ja percebi que não vai ganhar.

Osame Kinouchi disse...

João, você definiu bemo Criacionismo:
"Porque o criacionismo é anti-ciencia. Ela pensa que mutações sao todas más, que a datação radiometrica é uma fraude, que a mineralogia é treta, que o big bang é ciencia naturalista "

Acho que, em relação ao Criacionismo como definido por você, Marina não é criacionista. Basta perguntar a ela se:
1. As mutações são todas más?
2. A datação radiométrica é uma fraude?
3. A Mineralogia é uma treta?
4. Big Bang é ciencia naturalista?
Acho que a resposta de Marina seria 1.Não, 2.Não, 3.Não e 4. Não.

Mas não custa perguntar, vou tentar fazer isso através de um email, OK?

Acho que o problema que incomoda o João e outros aqui (e que me incomoda também) não é que Marina seja Criacionista (pela definição do João, ela não é!) mas sim o fato de que ela não é anti-Criacionista, e que esse tipo de tolerância poderia abrir a porta para que um lobby de evangelicos criacionistas implantem o ensino do Criacionismo nas escolas públicas.

Acho que para uma avaliação melhor desse ponto, seria melhor esperar pela proposta do PV na Educação, saber quem seria os prováveis candidatos ao Ministerio da Educação e da Ciência e Tecnologia. Imagino, por exemplo, que se Marina chamar o ateu Miguel Nicolelis para o MCT, João ficaria mais descansado...

O único problema é que Miguel é Palmerense fanático, e todos sabem que se os palmerenses dominarem o MCT criarão escolinhas de futebol exclusivamente para o Palmeiras, apenas cientistas palmeirenses obterão verba do CNPq e a Mancha Verde terá poder estatal e começará a levar os Corintianos e São Paulinos para campos de concentração etc...