Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, julho 10, 2009

Qual a taxa de hospitalização da gripe suína?

Uma menina de 11 anos morreu dia 30 de junho de gripe suína. Isso só foi reconhecido hoje. Um dos motivo para o reconhecimento atrasado é que a menina não teve contato com pessoas que viajaram para o exterior (isso seria um sinal da propagação sustentada?) , de modo que não foi tida como caso suspeito. Outro motivo era o quadro atipico da gripe, com vômitos e diarréia.


Ou seja, as duas afirmações "gripe suína é igual a gripe sazonal" e "não existe transmissão sem vínculo epidemiológico no Brasil" contribuiram para a morte da menina. Será que essas afirmações continuarão a serem repetidas ad nauseam no noticiário?

Qual é a taxa de internação da gripe suína? Será a mesma da gripe sazonal? Os números são os seguintes:

Usando apenas casos confirmados: 5/457 = 1,1%
Usando todos os casos internados (aguardando confirmação dos exames): (5+16)/457 = 4,2 %
Este número é da mesma ordem do observado nos EUA.

Obviamente esta taxa deve ser menor. Precisaríamos na verdade dividir pelo total de casos suspeitos em São Paulo, mas não encontrei esta informação. O número de casos suspeitos no país é de 2.973 em 8 de julho.

Por outro lado, a taxa pode ser maior, dado que não foram contados os casos com complicações (pneumonia) que necessitaram de internação, mas que já receberam alta.

Usando um número (conservador) de 1% de hospitalizações com UTI, e o número (conservador) de 10 milhões de casos até o final do ano, precisaremos de 10 mil leitos de UTI nesta temporada de gripe. Será que temos esse número de leitos disponíveis? Qual será a taxa de mortalidade na ausência de tratamento médico?


Do G1:
Cinco pacientes estão internados no Estado de São Paulo por causa de contaminação pelo vírus da influenza A (H1N1), doença conhecida como gripe suína. Dois deles estão em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e apresentam quadro grave de saúde. De acordo com o secretário de Saúde paulista, Luiz Roberto Barradas Barata, um deles recebe tratamento no interior e o outro na capital do Estado. Os outros três pacientes estão em isolamento. Dezesseis pessoas estão internadas no Estado com suspeita da doença.

Hoje, a Secretaria de Saúde anunciou a primeira morte por gripe suína no Estado: uma menina de 11 anos que morreu em um hospital privado de Osasco, na Grande São Paulo, no dia 30 de junho. O nome do hospital não foi revelado. De acordo com Barradas, apesar de o caso ser considerado atípico, pois a criança não apresentava sintomas da doença, nada muda no combate ao vírus em São Paulo. "Os protocolos são baseados em regras internacionais da Organização Mundial da Saúde (OMS), e não caso a caso", afirmou. "Na minha opinião, não há necessidade de mudar os critérios de diagnóstico e a conduta da vigilância epidemiológica não deve ser alterada."

Para o secretário, a identificação da doença na menina mostra que o sistema de detecção tem funcionado. Dados atualizados por Barradas hoje mostram que o Estado tem 457 casos confirmados da nova gripe. No País, o número já chega a 1.027.

Nenhum comentário: