Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, junho 09, 2010

Prêmio Thompson Reuters

Fig.: Na rede acima, Batista et al 2006 aparece no cluster de h-index theory.

Acho que esqueci de noticiar isso. Na verdade, se você trabalhar com um índice normalizado h_bar = alpha_a h,  onde alpha_a é uma constante que depende da área, ocorre um colapso de dados para as curvas P(h_bar). Isso significa que a comparação deve ser feita usando-se h_bar e não h. Checamos isso para áreas muito diferentes, incluindo matemática, psicologia, sociologia e engenharia.

Assim, não apenas h_I mas também h_bar são invariantes por área científica.


Sep 18, 2009

É possível comparar pesquisadores com interesses científicos diferentes? A partir dessa questão, Pablo Diniz Batista, tecnologista do CBPF, em parceria com Mônica Campitelli, Osame Kinouchi e Alexandre Martinez, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto (FFCLRP/USP), desenvolveu artigo que acaba de receber o Prêmio Thomson Reuters de Produtividade e Impacto Científico.

O trabalho, publicado em 2006, na revista Scientometrics, analisa a possibilidade de avaliar pesquisadores de diferentes áreas científicas a partir de um mesmo índice de cálculo, referente ao número de citações em publicações de periódicos e artigos. Para isso, tomou-se como ponto de partida o "índice h", proposto em 2005 pelo professor Jorge Hirsch, da University of Califórnia. O grande diferencial do "h" em relação a outros índices é que o mesmo engloba em apenas um índice o número de artigos publicados pelo mesmo pesquisador e o número de citações que cada artigo tenha recebido ao longo do tempo. "Nesse trabalho, compilamos um banco de dados em que é possível investigar o "índice h" da comunidade científica brasileira, determinando também a área de atuação de cada pesquisador", contou Batista.

- A partir desses resultados, observamos uma correlação direta entre o número de citações e o número de autores no trabalho. Conseqüentemente, como o número de autores em um trabalho científico está relacionado com área científica, concluímos que não é possível comparar pesquisadores de diferentes áreas utilizando o "índice h", explica. Mediante esta constatação, Pablo Batista e seus colaboradores propuseram no artigo um novo índice, chamado "hi", para avaliar pesquisadores de diferentes áreas, levando em consideração o número de autores dos trabalhos publicados pelo pesquisador.

O artigo de Batista está inserido em uma área de estudos chamada cienciometria, definida como o estudo da mensuração e quantificação do progresso científico, isto é, das citações e fatores de impacto de periódicos e artigos, com base em indicadores bibliométricos. Os dados fornecidos pela cienciometria podem não apenas ser aproveitados por governos e instituições de pesquisa em prol do desenvolvimento científico e tecnológico, por exemplo, ao ajudar nações a tomarem decisões sobre quais áreas do saber necessitam de fundos especiais, como também constituir uma fonte de informação sobre a evolução da ciência.

Artigo Premiado

Fruto de uma parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e a Divisão Científica da Thomson Reuters, o Prêmio Thomson Reuters de Produtividade e Impacto Científico se destina ao pesquisador, vinculado a uma instituição brasileira, que seja o autor do trabalho mais relevante nos últimos cinco anos nas categorias Ciência Pura, Ciências Sociais, Artes e Humanidades e Melhor Trabalho de Bibliometria e Cienciometria, categoria que premiou o artigo de Pablo Batista e seus colaboradores.

Os vencedores do Prêmio Reuters, que também prestigia o bibliotecário que se destacar na divulgação do Portal de Periódicos e da base Web of Science, foram escolhidos a partir de uma análise bibliométrica dos artigos mais citados na base Thomson Reuters High Impact Papers.

Pablo Batista recebeu o prêmio, no valor de US$ 3.000,00, em solenidade realizada no dia 17 de setembro, no auditório do Edifício-Sede da CAPES, em Brasília.