Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, setembro 01, 2009

Mythbusters da ciência (III)

How Science Works - David Goodstein (Caltech)

Myth: Real science is easily distinguished from pseudoscience.

Fact: This is what philosophers call the problem of demarcation: One of Popper’s principal motives in proposing his standard of falsifiability was precisely to provide a means of demarcation between real science and impostors. For example, Einstein’s theory of relativity (with which Popper was deeply impressed) made clear predictions that could certainly be falsified if they were not correct. In contrast, Freud’s theories of psychoanalysis (with which Popper was far less impressed) could never be proven wrong. Thus, to Popper, relativity was science but psychoanalysis was not. As I’ve already shown, real scientists don’t do as Popper says they should.

But quite aside from that, there is another problem with Popper’s criterion (or indeed any other criterion) for demarcation: would-be scientists read books, too. If it becomes widely accepted (and to some extent it has) that falsifiable predictions are the signature of real science, then pretenders to the throne of science will make falsifiable predictions, too.14 There is no simple, mechanical criterion for distinguishing real science from something that is not real science. That certainly doesn’t mean, however, that the job can’t be done. As I discuss below, the Supreme Court, in the Daubert decision, has made a respectable stab at showing how to do it.

21 comentários:

Joao disse...

Osame:

"that falsifiable predictions are the signature of real science, then pretenders to the throne of science will make falsifiable predictions, too."

Não estou a ver como... Ele devia ter dado um exemplo.

Osame Kinouchi disse...

Exemplo: Homeopatas predizem que tratamento homeopatico tem eficácia acima do efeito placebo. É uma predição que pode ser testada, e portanto a Homeopatia é científica em princípio segundo Popper.

Falseável não significa o mesmo que falseado (refutado). A teoria do flogistico era científica, e não apenas era falseavel como foi falseada (refutada).

Teorias falseadas historicamente continuam a manter o seu carater científico (ou você acha que a teoria do estado estacionário deixou de ser científica apenas porque a teoria do Big Bang ganhou o debate?)

Teoria científica não equivale a teoria verdadeira (ou, melhor, "não falseada ainda"). Existem teorias verdadeiras mas não científicas (como a idéia de que Marte tinha dois satelites proposta por Swift em Viagens de Gulliver, baseada apenas na progressão geométrica Venus = 0 satelites, Terra = 1 satélite, Marte = ? e Jupiter = 4 satélites (na época).

Joao disse...

"Homeopatas predizem que tratamento homeopatico tem eficácia acima do efeito placebo. "

Osame, sabe que isso não acontece, não sabe? Homeopatia não vale mais que duende liofilizado. Sabe que a metodologia para avalair isso não permite usar casos individuais, certo? Se não nem vale falar em efeito placebo.

Mau exemplo, continuo sem ver um unico.

"ou você acha que a teoria do estado estacionário deixou de ser científica apenas porque a teoria do Big Bang ganhou o debate?)"

Não Osame, uma vez cientifico, sempre cientifico. Pode é estar obsoleto. Errado, e não servir para nada, mas é orgulhosamente ciencia.

Como o espaço absoluto ou o eter. Ou as lobotomias.

Um cientista nunca tira o titulo de cientista a outro. É uma coisa tacita, de cavalheiros.

Joao disse...

É uma predição que pode ser testada, e portanto a Homeopatia é científica em princípio segundo Popper.

sim, e foi falseada. O ter sido falsiada torna-a ciencitifica? Who cares? Cientificamente falsa ou pseudocientificamente pretenciosa vai dar ao mesmo.

Mas existem outros critérios tais como a consistencia com o resto da ciencia.

Coisa que sempre defendi. Muito importante na minha area onde as teorias polulam como cogumelos e é preciso avaliar a plausibilidade à priori. Ora é a vitamina C ora é a acumpuntura ora é os cogumelos versicolor.

Joao disse...

Esqueci-me de dizer:

Se voce me encontrar uma pseudociencia que passe o critério da Falseabilidade eu deixo-o em paz para o resto da minha vida metafisica.

Ok, ok, estava a gozar. Mas gostava de ver na mesma.

Osame Kinouchi disse...

O critério de Popper é que a teoria seja testavel, ou seja, falseável. Existem muitos experimentos testando a Homeopatia e portanto ela é testável (ao contrario da teoria de supercordas).

Joao disse...

Sim, mas que pseudociencia teve uma previsão que fosse testavel e que tenha tido um resultado que a corrobora-se nesse teste?

Osame Kinouchi disse...

João, desculpe ser meio brusco nesta resposta, ela não pretende ser arrogante.

Desculpe perguntar isso mas você realmente leu os livros de Popper? Quais? Ou conhece o criterio de demarcação apenas por ler em livros de divulgação como Sagan?

Eu li quase todos, só não acabei o Sociedade Aberta e seus Inimigos. O critério de Popper par aque uma teoria seja candidata a ser científica é "falseabilidade em princípio", ou seja, que a teoria faça predições testáveis em princípio. Se elas forem falseadas mais tarde não importa.

Ou seja, é uma condição necessária mas não suficiente. Se uma teoria como a Homeopatia é falseavel em principio, ela passou pelo critério minimo de Popper (como candidata à teoria cientifica) mas isso não quer dizer que ela se torna uma teoria cientifica.

O criterio de Popper foi reconhecido por todos os filosofos da ciencia, já na década de 60, como insuficiente para separar ciencia da pseudociencia. Os trabalhos de Kuhn e Feyrabend foram decisivos nisso.

É por isso que você não pode concluir que, se a Homeopatia é testável isso significa que ela é cientifica (e é, existem muitos testes possiveis e nenhum deu resultado significativo, como voce bem observa).

Eu gosto muito do Carl Sagan mas acho que a popularização do criterio de Popper como algo infalivel de demarcação fez um bom estrago para a cultura cientifica de uma geração.

Uma visão muito melhor é a do discipulo de Popper, Inre Lakatos, onde ele propoe que a ciencia progride por programas de pesquisa (cujo nucleo não é falseável mas metafisico) que se realiza por uma sucessao de teorias (que nao sao falseaveis em si, mas apenas em conjunção com condições auxiliares específicas). Lakatos propoe que o problema da demarcação é um falso problema e o que realmente existe são programas de pesquisa progressivos e programas de pesquisa degenerativos.

Recomendo fortemente a leitura do livro dele. Informações sobre Popper, Lakatos, Feyrabend e Kuhn pondem ser encontradas na Wikipedia (risos).

Joao disse...

Veneravel Osame:

A minha questão não é com Popper.

A minha questão é se alguma teoria pseudocientifica conseguiu fazer uma previsão correcta cujo resultado falso pusesse em causa os alicerces da dita pseudociencia.

A demarcação é dificil e talvez a minha porposta se aproxime mais de uma visão progressista que de Popper.

Não, não li os livros de Popper. Li sobre ele em fontes secundárias fidedignas. Como a Stanford online filosofy enciclopeadia (muito boa), ou a enciclopedia britanica e até em bons bloggs como o critica na reda.

Leia o que eu penso sobre falsificacionismo no meu blog

http://cronicadaciencia.blogspot.com/search/label/falsificacionismo

Depois a gente conversa.

Joao disse...

Osame:

Se me arranjar uma pseudociencia que tenha feito uma previsão verificada (sabe o que estou a falar) o meu voto vai para si. (No tal concurso dos blogues).

Se não arranjar um exemplo em troca me da um post sobre "O Tempo".

certo?

Osame Kinouchi disse...

João, por definição, se uma teoria tem uma predição verificada, ela não será considerada mais pseudociencia. Por exemplo, se um UFO pousar na frente do Capitólio, imediatamente a Ufologia vira ciencia...

Ou seja, acho que seu pedido é tautológico.

O que eu posso te fornecer são:

1. Exemplos de pseudociencias que fazem predições experimentais, ou seja, são teorias testaveis em principio (o criterio de Popper envolve a testabilidade em principio, nao na pratica).

Exemplo:
a) Teoria da reencarnação: ela prediz que pessoas, em certas situações, terão lembrancas de vidas passadas.
Essa predição é verificada experimentalmente (pelos relatos de terapia de vidas passadas).

O que se discute é se essa "verificação" é válida, ou seja, se existem outras explicações, mas compatíveis com a filosofia naturalista, que explicam melhor os relatos observados.

b) Astrologia: prediz que haverá correlação de personalidade entre pessoas que nasceram na mesma hora e local.
É uma predição testável a priori (satisfaz o critério de Popper), foi testada e verificada: por exemplo, esportistas nascem em proporção maior no mesmo signo. A teoria alternativa é que bebes nascidos na primavera são mais robustos do que nascidos no inverno, de modo que há mais pessoas que se dedicam a esportes e que nasceram na primavera.

2. Exemplo de teorias científicas que não são testáveis a priori (por enquanto talvez):
a) Teoria de Supercordas
b) Teoria de Multiverso
c) Não existem verdadeiras grandezas reais (numeros reais) no Universo. Todas as grandezas físicas sao discretas.

3. Exemplo de programas de pesquisa científicos ativos mas que foram refutados até agora:
a) Projeto SETI - nenhuma predição do projeto SETI foi verificada
b) Astrobiologia - todas as evidencias de vida microbiana fora da Terra (como os microbios do meteorito de Marte) foram refutadas até agora.

4. Afirmações que fazem sentido a priori mas que não são científicas por não poderem ser verificadas ou testadas (o positivismo lógico chega afirmar que são questões sem sentido):

a) Qual o último pensamento de Einstein?
b) Minha namorada me ama?
c) A sensação (qualia) de cor azul é a mesma para mim e para você?
d) Em que momento existirão exatamente 7 bilhoes de seres humanos vivos?

5. Teorias verificadas mas não são cientificas:
a) Teoria de Swift que usou uma progressão geométrica para prever que Marte tem dois satélites;
b) Anestesia por acunpuntura: funciona, mas não pelas razões que a teoria da Acunpuntura fornece.

Chega?

Joao disse...

Osame:

Chega. Muito bom.

Fiquei so em desacordo quanto à predição da teoria da encarnação (não sei porque +e obrigatorio que as pessoas se lembrem, podiam não lembrar, e acho mesmo que se lembram mas é de outra coisa). Mas isso é outro assunto.

Porque a resposta à minha questão, que eu se calhar não soube distanciar de Popper o suficiente é:

Astrologia
"É uma predição testável a priori (satisfaz o critério de Popper), foi testada e verificada: por exemplo, esportistas nascem em proporção maior no mesmo signo

Eu so peço agora que me mostre evidencias desta afirmação (acho que é justo).
´
Em resumo, onde é que eu verifico essa correlação?

Joao disse...

Anestesia por acunpuntura: funciona, mas não pelas razões que a teoria da Acunpuntura fornece.

esta não é verdadeira

Joao disse...

Teoria de Swift:

Tambem não serve por causa de pequenos numeros.

mas tudo bem,

a da astrologia serve se me mostrar evidencias.

Joao disse...

E por ultimo:

João, por definição, se uma teoria tem uma predição verificada, ela não será considerada mais pseudociencia. Por exemplo, se um UFO pousar na frente do Capitólio, imediatamente a Ufologia vira ciencia...

É isso mesmo que eu penso Osame.

O desafia era uma brincadeira. Ainda bem que voce topou porque se o exemplo que deu é verdadeiro, só falha em correlação não ser de facto causa.

Mas eu aceito. Foi bem lembrado. Quero é prova. Evidencia. Onde tá o papel com numero e autor.

Joao disse...

Vou lhe dar o meu favorito.

Na china havia a teoria que o eclipse solar era causado por um dragão estar a engolir o sol.

Predição: vir para a rua assustar o dragão.

Verificação: funciona 100% dos casos ( o que us devia ter feito suspeitar).

A questão está em que estas verificações positivas da predição são contestaveis. Correlação não é causa, numeros pequenos, identificação das memorias, etc.

Eu aceito o da astrologia porque acho esteticamente bonito. Astrologia é uma pseudociencia pura. É tão pseudociencia quanto uma pseudociencia pode ser (whatever that means). É popular, é antiga, faz previsões de futuro, foi usada por pesssoas famosas e... até parece que se sai bem na falsiabilidade. É lindo. É quase tão bom exemplo como o do Dragão que eu costumo usar. (sim ja tinha escrito um post com ele antes).

Osame Kinouchi disse...

João,

Acho que a literatura relevante está aqui:

http://www.astrozero.co.uk/astroscience/koll1ge.pdf

Me parece que a questão de se a Astrologia é testável ou não (criterio de Popper) não é posta em dúvida pelos céticos.

O debate centra-se sobre a metodologia, sobre se os resultados são confiáveis. Ou seja, a palavra final sobre o Efeito Marte ainda não foi dada, está ainda no estágio de controvérsia.

Eu acharia mais produtivo, se a estatistica for robusta, que os céticos elaborassem explicações alternativas para os dados, em vez de apenas negar o fenomeno (mars Effect).

Por exemplo, poderiam explorar as ideias de que o efeito está relacionado com o clima: talvez a temperatura ou a alimentação sazonal - ou um efeito sazonal na quantidade de lactação das mulheres pudesse produzir variações nas taxas de crescimento e robustez dos bebes. Fenomenos epigeneticos poderiam atuar nisso também.

Uma maneira fácil de testar isso seria replicar as medidas do Efeito Marte para atletas nascidos no hemisferio Sul. A minha hipotese é que haverá um efeito Marte invertido (pois quando é inverno no norte é verão no sul).

Se isso for verdade, refuta-se de vez a hipotese astrologica sem necessariamente refutar os dados estatisticos. A hipotese climatica seria vindicada.

Osame Kinouchi disse...

É claro que todos esses debates tem origem no excessivo espirito empiricista dos cientistas americanos e ingleses. É por isso que o criterio de Popper se espalhou como um mito.

Outros critério para definir ciencia como "É necessário ter um certo nivel de consiliencia com outros resultados científicos" e "Não basta observações empiricas, é necessária uma teoria detalhada para explicar como efetivamente o efeito é produzido", que também não são demarcatorios, podem ajudar na dificil tarefa de separar ciencia, pseudociencia, e a zona nebulosa que está no meio...

Osame Kinouchi disse...

Referencias sobre acunpuntura podem ser encontradas aqui:

http://en.wikipedia.org/wiki/Acupuncture#World_Health_Organization_statement

De novo, acho que é mais produtivo encontrar explicações alternativas à teoria dos meridianos chineses em vez de negar os fenomenos de forma ferrenha e muitas vezes desonesta.
O grande perigo do ceticismo é cair no bias cognitivo ao contrario, negacionista, sem ter imaginacao para reconhecer o fenomeno e propor explicações alternativas (em vez de apenas negar o fenomeno).

É por isso que Murray Gell Man, no livro O Quark e o Jaguar, critica o movimento cético americano e não se alinha com ele. Ele diz que o movimento é deseducativo, pois o ceticismo não é uma boa qualidade para cientistas criativos, que geram novas ideias por ter fé nas mesmas mesmo encontrando adversidades e refutações momentâneas.

Já os cientistas muito ceticos, embora sejam bons para detetar os erros dos outros, acabam não contribuindo com novas ideias: eles se policiam tanto, são tão rigidos e autocriticos, que suas ideias morrem no nascedouro, não tem tempo de germinar. O ceticismo extremado, para um bom cientista, é um defeito de caráter...

Vide todos os movimento de "ceticos do clima", "ceticos do Holocausto", "ceticos da Apolo XI" etc. Em todos eles existe um excesso de empirismo. O ceticismo filosófico de Hume também inviabiliza a ciencia.

Durante a grécia, os ceticos negavam a possibilidade de um conhecimento confiável, científico, e eram adversários dos fisicos e outros filosofos naturais.

Talvez o ceticismo extremado tenha bases geneticas. Desconfio que seja um sintoma do espectro autista (na faixa da "geek syndrome"). Você já notou como existem muito mais ceticos homens do que mulheres? Entre os autistas, mais de 2/3 são homens. É apenas uma correlação, mas sugere que possa haver uma causa comum... É possivel que, fora o seu mérito filosofico, o ateísmo também tenha base genética. Escreverei um post sobre isso...

Joao disse...

Osame:

A acunpuntura não tem senão um efeito moderado de analgesia. Essa indicação da OMS está exagerada.

Existe o problema ainda, de a dor, não poder ser medida objectivamente por um observador externo. É sempre por auto-avaliação.

Mas se o Osame quer conhecer mais sobre a acunpuntura por favor veja no meu blogue a etiqueta acunpuntura, e um post chamado "as medicinas alternativas e as outras".

Faço o possivel para manter-me ao corrente da actualidade da questão.

Se duvida de mim, leia os artigos que eu ponho em link. Sim, fiz cherry piking, mas os outros tem tantas falhas de metodologia ou credibilidade que acho que chamar cherry piking é um exagero

Joao disse...

Quanto ao artigo de astro, é fixe, desconhecia aquele estudo.

Estou de acordo consigo, deveria ser feito o mesmo para cada hemisferio em separado.

ganhou meu voto e me deu material para estudar.

obrigado