Ocorreu um erro neste gadget

domingo, setembro 13, 2009

Frutos da Árvore do Conhecimento

Edward Teller

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Edward Teller

Edward Teller
Edward Teller em 1958, director do Laboratório Nacional Lawrence Livermore

Nascimento15 de Janeiro de 1908
Budapeste
Falecimento9 de Setembro de 2003
Stanford (Califórnia)
Prêmio(s)Prêmio Enrico Fermi

Edward Teller (Budapeste, 15 de Janeiro de 1908Stanford (Califórnia), 9 de Setembrode 2003) foi um físico nuclear norte-americano de origem húngara, popularmente conhecido como "O pai da Bomba H".

[editar]
Biografia

Edward Teller nasceu em 15 de Janeiro de 1908, na cidade de Budapeste, na Hungria, no seio de uma família judaica, tendo recebido o nome de batismo Teller Ede. Estudou em Budapeste no Instituto de Tecnologia antes de se mudar para a Alemanha, onde obteve um doutoramento em Física Teórica na Universidade de Leipzig. Em 1935, dois anos após a chegada de Adolf Hitler ao poder, emigrou para os Estados Unidos e obteve um lugar de professor na Universidade George Washington, em Washington, DC. Tornou-se cidadão norte americano em 1941 e em 1942 juntou-se à equipa de Enrico Fermi que trabalhava em experiências de física nuclear relacionadas com a reacção em cadeia na Universidade deChicago.

Esteve entre os primeiros cientistas a serem recrutados para o chamado Projecto Manhattan, no Laboratório Nacional de Los Alamos, onde trabalhou até regressar à Universidade de Chicago em 1946. Voltou a Los Alamos em 1950 mas não foi escolhido para dirigir o programa de teste da bomba de hidrogénio, ou Bomba H, estabelecido pelo Presidente Harry Truman. Assim, abandonou o projecto em 1952 para se tornar co-fundador e director de um novo e rival laboratório de pesquisa de armas nucleares designado Laboratório Nacional Lawrence Livermore, em Berkeley, Califórnia.

Sendo um anticomunista feroz, Teller testemunhou contra J. Robert Oppenheimer em 1954, seu antigo colega em Los Alamos, durante a chamada "caça às bruxas" movida pelo senador Joseph MacCarthy. Este posicionamento levou-o a ser ostracizado pela maioria da comunidade científica mas, no entanto, Teller continuou a contar com apoio dos aparelhos políticos e militares dos Estados Unidos. Lutou incessantemente para manter os Estados Unidos na liderança da corrida armamentista durante a Guerra Fria, apelando ao desenvolvimento de avançado armamento termonuclear e á manutenção de testes nucleares. Na década de 80 do Século XX, Teller tornou-se o grande impulsionador do Programa de Defesa Estratégica, mais conhecido por "Guerra das Estrelas", defendido pelo Presidente Ronald Reagan. Este programa previa o desenvolvimento do uso de raios laser abastecidos por bombas de fissão com o objectivo de destruir mísseis nucleares soviéticos. Foi também sua ideia o projecto de criação de um porto artificial no Alasca, usando explosivos termonucleares.

Ao longo da sua vida, Teller era conhecido pelo seu brilhantismo científico mas possuindo enormes dificuldades nas relações interpessoais. A sua intensa apologia do uso de armas nucleares levou-o a ser considerado como um dos cientistas que se encaixa plenamente no estereótipo do cientista louco, sendo que o seu sotaque e as sobrancelhas cerradas que possuía aumentavam o efeito. É também da opinião popular que o personagem do Dr. Strangelove, no filme satírico que Stanley Kubrick realizou em 1964 intitulado Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb, teria sido inspirado em Teller. Em 1991 foi premiado com o primeiro Prémio IgNobel da Paz em reconhecimento pelos seus "esforços de uma vida inteira para alterar o significado da paz tal como a conhecemos".

Entre outras horarias, recebeu o Prémio Albert Einstein, o Prémio Enrico Fermi e a Medalha Nacional da Ciência. Era membro da American Academy of Arts and Sciences (Academia Americana de Artes e Ciências), da American Association for the Advancement of Science(Associação Americana para o Desenvolvimento da Ciência), e da American Nuclear Society (Sociedade Nuclear Americana). Foi também nomeado como parte do grupo dos Cientistas dos Estados Unidos a serem escolhidos para Pessoa do Ano da revista americana Time. Menos de dois meses antes do seu falecimento foi agraciado com a Medalha Presidencial da Liberdade, pelo Presidente George W. Bush.

Apesar de ter saído da Hungria há várias décadas, Teller nunca esqueceu a sua herança cultural nem a sua língua. Após a queda do comunismo, ele visitou várias vezes o seu país natal e acompanhou com atenção as mudanças políticas ali em andamento.


Norman Ernest Borlaug

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Norman Ernest Borlaug

Norman Ernest Borlaug

Nascimento25 de Março de 1914
Cresco, Iowa, Estados Unidos
Falecimento12 de Setembro de 2009
Dallas, Texas, Estados Unidos
Campo(s)Microbiologia
Prêmio(s) Nobel da Paz (1970)

Norman Ernest Borlaug (Cresco, Iowa, EUA, 25 de Março de 1914 - Dallas, Texas, EUA,12 de Setembro de 2009) é um microbiologista dos Estados Unidos da América.

Cientista dedicado à agricultura, recebeu o Nobel da Paz em 1970, por sua contribuição para a paz através do aumento na produção de alimentos. É considerado o "pai" da chamada "Revolução Verde".

Formou-se pela Universidade de Minnesota em 1942, graduando-se em genética e patologia vegetal. Indo para o México, engajou-se em pesquisas que resultaram no desenvolvimento de diversas cultivares de trigo, com alta resistência e produtividade. Graças à aplicação prática do resultado das pesquisas de Borlaug, em 1963 o México se tornou exportador de trigo. Posteriormente, essas variedades de trigo foram introduzidas por Borlaug na Índia e no Paquistão, sendo que a produção de trigo destes dois países dobrou entre 1965 e 1970. Mais recentemente, ajudou a levar estes métodos de aumento da produção agrícola para outros países asiáticos e para a África.

Borlaug tem sido um perseverante defensor de seus métodos e da biotecnologia em geral para aumentar a produtividade agrícola. Ele tem sido criticado tanto do ponto de vista econômico quanto do ambientalista, mas tem rejeitado tais críticas como infundadas ou não-verdadeiras. Em 1986 ele criou o Prêmio Global de Alimentação, destinado a premiar pessoas que tenham contribuído para melhorar a quantidade, a qualidade ou a disponibilidade de alimentos no mundo.

[editar]Ligações externas


Norman Borlaug has dismissed certain claims of critics, but does take other concerns seriously. He states that his work has been:

"a change in the right direction, but it has not transformed the world into a Utopia [40].

Of environmental lobbyists he has stated:

"some of the environmental lobbyists of the Western nations are the salt of the earth, but many of them are elitists. They've never experienced the physical sensation of hunger. They do their lobbying from comfortable office suites in Washington or Brussels. If they lived just one month amid the misery of the developing world, as I have for fifty years, they'd be crying out for tractors and fertilizer and irrigation canals and be outraged that fashionable elitists back home were trying to deny them these things".[41]

Nenhum comentário: