Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, junho 05, 2009

Sobre o xixi ambientalista


Dia do Meio Ambiente (OK, foi ontem, e pensei que este termo havia sido extinto por redundância, usando-se agora apenas Ambiente). Impressionado com a mentalidade atrasada da senadora (cujo nome não lembro e que ninguém lembrará depois de seu mandato). Mais uma prova de que apenas o fato de ser mulher não basta para te dar uma visão epistêmica diferente ou superior. O homem branco ocidental Carlos Minc está avançado para sua época...

Recentemente a S.O.S Mata Atrântica propôs o xixi no banho como ato ambientalista:

Da Veja:

Que economia de água um xixi no banho pode gerar?
Cada descarga na privada consome de 12 a 20 litros de água. Se uma pessoa fizer xixi no banho uma vez por dia, vai gerar, ao longo de um ano, uma economia superior a 4.300 litros. Agora, imagina isso multiplicado por muitos, em todo o país. É preciso lembrar que a descarga é um dos maiores vilões do aquecimento global. O banheiro como um todo, aliás [calcula-se que 80% da água que um morador do Sudeste consome num dia escoe pelo ralo do banheiro]. É por isso que dizemos para as pessoas lavarem roupa íntima ou salada no chuveiro. É uma forma de fazer aquela água render mais.

Que outras atitudes as pessoas podem tomar a favor do ambiente?
A questão mais importante agora é o consumo. Já consumimos uma vez e meia o planeta. E quando falo em consumo não me refiro apenas às compras no supermercado: falo de água, de luz, de combustível e de coleta seletiva (talvez a mais séria das coisas). Quanto mais você consome sem consciência os recursos naturais, maior é o seu rastro ambiental, pior é o prejuízo que você gera para o planeta.

Você faz xixi no banho?
E quem não faz? Na enquete que estamos promovendo no site Xixi no Banho, 75% das pessoas (56.438 votos) já assumiram fazer. Mas achamos que o número é maior. Ainda tem gente se escondendo. Fazer xixi no banho não é uma novidade. A proposta é brincalhona, o xixi no banho é algo simbólico, para falar de algo maior.

Bom, eu tenho uma proposta também (não, não é a "cocô no banho"). É apenas uma idéia simples capaz de reduzir pela metade ou mais o consumo de água nas privadas, ou seja, algo bem mais eficiente do que o xixi no banho.

Bom, mesmo sem checar, eu vou acreditar nos que falam que xixi não tem bactéria. E hoje, com desorizadores de todo tipo nos banheiros, o cheiro também não é problema. Portanto, a campanha que lanço hoje é:

Dê descarga a cada dois xixis!

Simples assim! (Sim, eu sei que sou um cara criativo...)

Sem brincadeira, isso parece muito mais viável do que desenvolver privadas de alta tecnologia (caríssimas) e implantar isso no Brasil afora, não?

Eu tenho mais três idéias complementares:

1. Se no seu banheiro tem bidê, faça xixi no bidê, ligue a água o suficiente para limpar (é muito mais econômico que descarga).
2. Se no seu banheiro você tem ducha, use a mesma em cima do xixi na privada para dilui-lo. É quase igual a uma descarga, só que muito mais econômico.
3. Não use mais papel higiênico. Afinal, usar papel higiênico não é nada higiênico nem ecológico! Use ducha ou bidê (mesmo os marmanjos!). De quebra, além da contribuição ambiental, você economiza o dinheiro do papel higiênico.

Sabe que a vezes eu me pergunto por que as pessas nunca pensaram nisso antes?

4 comentários:

none disse...

"Sabe que a vezes eu me pergunto por que as pessas nunca pensaram nisso antes?"

Na verdade no caso do "3", já pensaram. Afinal o bidê foi inventado exatamente para isso.

Não é preciso inventar uma privada tecnológica. Basta trocar a válvula de descarga por uma com dois botões - uma com mais fluxo e outro com menor fluxo. No caso de privada com reservatório, basta usar um reservatório de menor capacidade ou colocar uma ou duas garrafas PET no interior. Há tb um reservatório criado pelo mesmo autor da "maior onda de pão-de-queijo já mais [sic] vista", o seu Daltony - a descarga ecológica.

A idéia de urinar no bidê tem o problema dos respingos.

Mas economiza-se muito mais água reduzindo tempo de chuveirada - cada minuto a menos economiza 3 litros de água. Além de economizar em energia elétrica.

[]s,

Roberto Takata

none disse...

Publiquei no Gene Repórter uma série de perguntas que fiz ao SOS Mata Atlântica sobre a campanha há cerca de duas semanas (quase três).

http://genereporter.blogspot.com/2009/06/xixi-no-banho.html
----------------

[]s,

Roberto Takata

none disse...

tecnicamente não chega a haver redundância na expressão "meio ambiente".

Por exemplo, há o "meio interno" (o "milieu interieur" de Claude Bernard) - referindo-se aos fluidos corporais extracelulares.

Por outro lado, o termo "ambiente" apenas tem uma conotação distinta: p.e. ambiente de trabalho, ambiente carregado, som ambiente. Refere-se apenas ao entorno, não necessariamente como um meio.

Por outro lado, 'meio ambiente' (assim como 'natureza') em um sentido leigo ganhou a conotação de 'paisagem natural' - são as florestas virgens, os oceanos, os lugares não habitados ou, no máximo, o meio rural. Descartam as cidades como meio ambiente - quando tecnicamente, as cidades também são um meio ambiente.

[]s,

Roberto Takata

Clarissa disse...

Olá. Osame. Sua ideia parece realmente eficiente, mas além de dar menos descarga e usar o bidê ao invés do papel higiênico, há outras maneiras como manter o banheiro livre que qualquer vazamento. Às vezes eles estão presentes e não nos damos conta.
Outros exemplos - http://casa.hsw.uol.com.br/banheiro-economico1.htm
Abraços