Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, outubro 28, 2009

Você votaria em um evangélico para presidência?





Vou iniciar uma nova enquete aqui no SEMCIÊNCIA, ver na barra lateral. Afinal, as relações entre religião e política estão ficando importantes nestas eleições.


A senadora Marina Silva (PV-AC) afirmou nesta terça-feira que nunca atuou como parlamentar em defesa dos interesses específicos
O Globo

WASHINGTON - A senadora Marina Silva (PV-AC) afirmou nesta terça-feira que nunca atuou como parlamentar em defesa dos interesses específicos dos evangélicos e disse que muitas vezes sofreu preconceito pelo fato de ser cristã evangélica, apesar de ser a religião que mais cresce no Brasil hoje.

Em visita a Washington, a senadora disse ainda que as pessoas que se opõem às suas ideias gostam de distorcer sua opinião qualificando-a de intransigente defensora do criacionismo e contra o aborto.

- Muita gente me diz: como você pode ser tão inteligente se você é evangélica? Eu não sei se isso é um tipo de preconceito, mas acho que há muitos equívocos sobre a minha fé religiosa e minha atuação política.

Eu defendo o Estado laico, não acho que o Estado tenha que tomar partido desta ou daquela religião e acho até que os evangélicos são muito agradecidos pelo Estado laico brasileiro, que os permitiu crescer como religião.

Sobre o aborto, Marina defendeu que o assunto não seja regulamentado pelo Executivo diante das opiniões muito divergentes sobre o tema. Para ela, o melhor caminho seria um plebiscito.

PS: Vale notar que Marina Silva, até quatro anos atrás, era católica...

Vídeo: A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, fez a palestra de abertura da 13º Semana Científica da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP) e da Faculdade Arthur Sá Earp (Fase), no dia 29 de agosto de 2007. A ministra abordou o tema central da semana científica - Meio Ambiente, Saúde e Sociedade - e foi aplaudida de pé por uma platéia de mais de 500 pessoas, composta por professores, alunos e convidados.

7 comentários:

diogo disse...

Não sei se iria dar certo mas votaria sim por uma experiencia nova.

Júlia disse...

Ahh pelo amor de Deus, não da p colocar na cadeira mais importante do país, uma pessoa cujo valores são todos incentivados pela doutrina evangélica. Isso é atrasar o país, imagina o vai virar isso aqui, ensino religioso obrigatório nas escolas, causas GLBT tds jogadas no lixo, homossexuais apedrejados em praça publica, nd de carnaval e mulheres andando nuas por ai...

André disse...

Caramba, Júlia, quanto preconceito, hem?! Com todo respeito, lamentável...

O Obama é evangélico também. Alguém foi apedrejado em praça pública recentemente nos States??

Osame Kinouchi disse...

Acho que esse é o ponto: não confundir os evangelicos progressistas com os evangelicos conservadores.

Evangelicos progressistas como Martin Luther King, a missionaria americana assassinada pelos fazendeiros do Pará (preciso lembrar o nome!), Obama etc não deveriam ser confundidos com os evangelicos conservadores.

Acho que o problema é que os nossos evangelicos provém de igrejas conservadoras que enviavam missionrios no seculo XIX ou que vieram fugidos da Guerra da Secessão americana.

Julia, vc saba que a maior parte das ONGs que mandam dinheiro para favelas, movimento para defesa dos diereitos humanos e da comunidade GLBT etc, são constituidas por evangelicos europeus, especialmente da Alemanha e Inglaterra?
Que a ONG OxFam sediada em Oxford e cuja atuação tem a ver com a questão da fome tem origem evangélica?
Que os evangelicos europeus (e mesmo os americanos) são muito mais avançados nas questoes relativas ao aborto, controle da natalidade, laicismo do estado, ministério feminino (pastoras e bispas) e questao sexual (não existe voto de castidade entre evangelicos) do que a Igreja Católica? Se o seu raciocínio estivesse correto, não deveriamos votar em católicos para a presidência, o que eu acho um contrasenso: a questão é o quanto conservador é o tal católico.

E, quanto ao homosexualismo, você sabia que existem igrejas evangelicas com pastores(as) e bispos(as) homossexuais? Isso é muito mais avançado do que qualquer igreja catolica, budista ou hinduista! É atá mais avançado que a FIFA, que não permite juizas nos jogos de futebol da copa do mundo. Mas disso não decorre que não deveriamos votar para presidente em quem gosta de futebol apenas por causa da corrupção no futebol internacional e da atitude machista da FIFA...

Júlia disse...

ta certo que não existe preconceito em relação a homossexuais só entre os evangélicos, lógico q existem tantos outros católicos q abominam o fato de existir alguem q ame outro do msm sexo, mas tmb eh hipocrisia não dizer q este preconceito eh mt maior entre as religiões conservadoras. Quero deixar claro que não to criticando religiões até msm pk, dentro dos próprios conventos e seminários,existem boatos de q há diversas práticas homossexuais.
Em se tratando da provavel candidata a presidencia Marina Silva, até hj não consigo ve-la como uma pessoa aberta o suficiente p governar um país. O Brasil eh um país heterogênio, com várias diferenças, e mts vezes um governante precisa deixar de lado seus próprios valores p governar em prol dos interesses da maioria.

Osame Kinouchi disse...

Julia,

Não existe partido mais heterogeneo, com extremos de todos os lados, do que o PT. Marina sempre atuou e dialogou dentro do PT, sem problema algum.

Acho que a questão de costumes morais deveria ser deixada em segundo plano nesta eleição, pois a questão do prosseguimento das politicas economicas de FHC e sociais de Lula e de alcançar um novo avanço rumo a uma economia sustentavel, tem como candidata natural a Marina.

Se a pessoa é a favor ou contra o aborto, acho que no momento não é o problema mais urgente do país. Por exemplo, existe um debate sobre o fato de que o aborto é o grande fator que eliminou delinquentes em Nova York (bem descrito no livro Freaknomics). A defesa do aborto não basta, é preciso saber a razão fundante disso. Não acho que feministas e esquerdistas defenderiam o aborto visando o controle da violencia e diminuição de jovens criados em famílias uniparentais. Por outro lado, liberais de direita ou mesmo extrema direita poderiam defender o aborto visando esses fins, usando o aborto como prática eugenista.
Acho que Marina questiona, principalmente, este carater eugenista do aborto (se bem me lembro das posições da Teologia da Libertação).

Finalmente, existem evangélicos que são a favor do aborto, e isso nada os recomenda: o Bispo Macedo é a favor do aborto (por oportunismo, para se diferenciar da Igreja Católica) mas... e dai?

Júlia disse...

realmente o PT eh um partido bastante heterogênio, mas vale lembrar que a Marina Silva nem petista é mais.
Os valores dela são puros demais p aguentar tanta sugeira do Partido dos Trabalhadores, admirável sua atitude, mas ainda acho que Marina Silva não tem a menor visão para se tornar presidente da república e ainda afirmo que ela como presidente eh atrasa o país.