Ocorreu um erro neste gadget

sábado, março 17, 2007

Escolas alemãs recebem 6 mil cópias de "Uma Verdade Inconveniente"


da France Presse, em Berlim


Seis mil DVDs do documentário do político americano Al Gore sobre mudança climática, "Uma Verdade Inconveniente", serão distribuídos em escolas na Alemanha. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo ministro alemão do Meio Ambiente, Sigmar Gabriel, e pelo WWF (sigla em inglês para Fundo Mundial para Natureza). A distribuição será feita no próximo domingo, quando 5.000 professores da Alemanha receberão gratuitamente o documentário de Al Gore e materiais pedagógicos. O projeto foi possível devido à colaboração do ministério, do WWF e da ajuda financeira de um empresário de Munique (cujo nome não foi divulgado). Al Gore foi vice-presidente de Bill Clinton e candidato à presidência pelo partido democrata em 2000, derrotado por George W. Bush.

Você sabia que Al Gore reconhece em sua autobiografia ter sido muito influenciado pela perspectiva dos complexistas do Santa Fe Institute e pela idéia de criticalidade auto-organizada de Per Bak? Eu até citei isso em um artigo meu, aquele sobre "marxismo computacional" (Um precursor das ciências da complexidade no século XIX).

Como criticalidade e auto-organização são duas de minhas obsessões, às vezes fico pensando que o que faço não é tão inútil assim. Afinal, eu participei com uma meia dúzia de artigos do desenvolvimento das idéias do pessoal complexista, que enfatizam uma visão mais sistêmica da Natureza e da Sociedade e que fundamentam, por exemplo, a idéia científica (não a mítica) de Gaia como atrator biosférico. Bom, pelo menos foi Bak quem disse isso. Foi ele também quem disse que a idéia de que a História é uma sucessão entre atratores socio-econômicos, visão desenvolvida pelo SFI, era na verdade marxista.
Mas a idéia mais liberadora que encontro em Bak é aquela que soluciona o eterno debate entre o papel do indivíduo e o papel da sociedade na História. Para Bak, nós somos como grãos de areia: os grandes homens são aqueles grãos de areia especiais que, por estarem na hora e lugar certos, e talvez por suas propriedades particulares, podem iniciar ou parar uma grande avalanche.
O valor de Per Bak para a física estatística não está na profundidade de suas idéias (certamente o grupo de renormalização de Wilson ganha neste aspecto), mas sim no fato de que Bak foi um grão de areia muito especial, que despertou outros grãos de areia para as onipresentes avalanches na natureza e na sociedade.

Nenhum comentário: