Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, janeiro 19, 2010

Estatística de encontros com asteróides


Tomando dados de uma tabela de encontro com NEOS (Near Earth Objects) até 2178 dada aqui, fiz um gráfico do número desses encontros (nesta janela de tempo) que apresentam uma aproximação menor que a distância D em unidades astronômicas. Em outras palavras, qual a probabilidade de se ter um encontro menor que D neste período.

Encontrei que essa probabilidade é proporcional à D^2 (uma parábola), aproximadamente. Na verdade, a curva em vermelho é proporcional a D^1.95.

Depois de pensar um pouco, acho que achei um argumento (estatístico e geométrico) de porque existe essa regularidade. Colocarei aqui em um update, mas deixo como um enigma para meus amigos blogueiros que gostam de física e astronomia proporem soluções.

PS: Alguém conhece um paper sobre isso?

3 comentários:

none disse...

Se a probabilidade de passagem de um bólido for proporcional ao volume, essa relação aproximadamente parabólica é esperada.

[]s,

Roberto Takata

Osame Kinouchi disse...

Se os eventos de encontro proximo fossem proporcionais ao volume definido pela distancia D, entao teriamos que a curva seria proporcional a D^3. Acho que a solucao é que os pontos de encontro proximo estao concentrados no plano da orbita, de modo que é a area e nao o volume que é importante...

none disse...

Eu enviei por email um arquivo que mostra matematicamente a relação quadrática derivada da relação entre volumes.

(Deve se ter em mente que os volumes são de esferas *ocas* e não de esferas sólidas.)

[]s,

Roberto Takata