Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, novembro 14, 2008

Onde nenhum ser humano jamais esteve



Isis Nóbile Diniz, do blog Xis-Xis, agora escreve para o Portal G1. Aqui vai um link para uma de suas primeiras reportagens (a primeira?):

Portal G1: esquisadores captaram pela primeira vez a imagem de três planetas em torno de uma estrela diferente do Sol. E, em outro estudo, conseguiram a imagem ótica do possível objeto mais frio e de menor massa corporal já "fotografado" fora do Sistema Solar. As “fotos” foram feitas com telescópios terrestres e com o espacial Hubble. Com essas fotografias, os cientistas poderão observar os planetas diretamente. Tornando o estudo mais prático do que supor, por meio da matemática e outros instrumentos, que os planetas estão lá. Os trabalhos foram publicados na revista “Science” desta semana [na forma de Science Express, ou seja, publicação on-line antecipada]. Ver mais aqui.

É interessante verificar como (certo tipo) de pessoas religiosas se sentem incomodadas por (certo tipo) de notícias científicas - um exemplo claro é uma notícia sobre o LHC no Portal G1 que gerou 167 comentários, a maior parte negativos, e que Isis, Angélica e eu estamos estudando, visando entender justamente o que são esses "certos tipos": que tipos de temas científicos não são palatáveis por uma população medianamente educada (que lê jornais na Internet!) por afrontarem sua visão de mundo? Será que a divulgação científica faz com que essas pessoas se aproximem ou se afastem de vez da cultura científica?


4 comentários:

Sandra Goraieb disse...

Muito interessantes as imagens. Recebo o Science Express, mas não tinha prestado a atenção neste tema. Quanto ao que a população quer saber, achei a pergunta curiosa. Acho que no fundo elas querem respostas miraculosas para seus problemas imediatos, ou ainda uma coisa grande para temer ou que lide com seus instintos mais elementares. Na minha experiência, a Ciência de possibilidades e questionamentos é pouco interessante para a maioria, que não quer novas perguntas, novos problemas, mas sim e somente soluções fáceis e pouco comprometedoras. Pode ser que seja um olhar desiludido, mas vejo pouco interesse genuíno, pouca curiosidade real, aquele desejo de entender por qual motivo as coisas são como são, como funcionam.
Não sou uma cientista importante, sou só uma médica xereta e curiosa. E é dessa curiosidade ampla que sinto falta nas pessoas.
Curiosamente o LHC também foi um tema muito procurado no meu blog, apesar de não ser entre os temas que tratamos mais frequentemente.
Abraços, sou fã de seu blog.

Alessandra disse...

muito pertinente o problema de pesquisa. Estou curiosa para ver o resultado do trabalho.

João Carlos disse...

Só faltou o "audaciosamente" no título... :D "Dobra nove, Sr. Sulu!..."

Mudando de enfoque: a reação dos que se acreditam "a imagem e semelhança do Criador" é bem fácil de entender... Se existem outras Terras, forçosamente haverão outros "Édens", outros "Adões" e, o que é muito pior, outros "Jesus Cristo, filho unigênito de Deus"... O que contradiz totalmente suas noções paroquianas... :)

Sinn-Klyss disse...

Criacionismo como distração massiva depredando mais ainda a Educação; Fantoches de outdoor fazendo pulhítica; Desmantelamento social por apavoramento com apologia ao terrorismo; Assassinatos constantes de moços e moças para aniquilar emocionalmente as famílias; Fraudes em documentos médicos para forjar milagres; E sanção contra Físicos no ingresso à Petrobrás,etc, etc.
Vítimas de pastor denunciaram que foram usados óleo para indução letárgica e hipnotismo para cometerem crimes de máxima repugnância. Criminosos de hedionda índole estão subjugando famílias, escolas, empresas, etc. Esses canalhas estão infiltrando lacaios em tudo que é canto. As igrejas são as fabricantes desses criminosos; os mentores das falácias religiosas tentam a qualquer custo impor na Sociedade suas inescrupulosas mentiras; estão dispostos a tudo para subverter e degenerar a mentalidade humana afim de continuarem e expandirem seus inúteis domínios de nababos.
Sendo assim, a paciência está esgotada:

O texto a seguir é um caso sério, mas em certa altura pessoas quase mijam de rir. Talvez seja porque alguns de nós riem para suplantar um problema num difícil momento de sobrevivência.

O Criacionismo na Fidelidade Rigorosa da Bíblia.

O que é intrigante é a posição da Terra em relação ao céu. Parece que o Muito Grande e poderoso sentado no Trono, quando dá uma descarga vem tudo direto pra cabeça de suas igrejas. E quando isso chega, a Terra fica com cheiro não muito bom. Talvez isso explique porque nos sentimos mal quando seus escolhidos superiores passam um mau-hálito quando falam tanto e tão perto de nossos ouvidos.
Parece que somos como que uma espécie de pano-de-chão lá de cima.
Rigorosamente pela escrita nosso pai, na melhor das hipóteses, é um assassino; o outro rapaz era bom; o poderoso não achou bom revivê-lo, e deixou o assassino se dar bem com as cabras. Daí que, uns de nós cismam, com certa razão, que são ovelhas; e os homens já têm assim coceira de chifres desde novos. Nosso avô é um mentiroso; nossa avó andava dando idéia às escondidas pra uma cobra. Como ela já gostava de cobra mentiu também pra ver se conseguia segurar no cipó do nosso avô.
É uma HESTÓRIA linda; e muito criativa; e explica pra nós direitinho nossa condição nesse reino. Pra azar de nosso avõ ele ainda teve também dois filhos, igualzinho ao poderoso Manda-Chuva. Nesse reino existe uma certa aversão por mulheres. E parece que pra piorar os dois playboys sem muito o que fazer em suas vidas eternas, vidraram o olho logo aqui pra esse planeta, com tantos por aí. Talvez seja porque é o único que fica embaixo deles; pois no Universo a idéia de em cima e embaixo é de mero contexto proximal e precisa, no mínimo, de referencial. Mas isso não é pra aqui. Isso é coisa de somenos. Como diria o do curso de mau-hálito.
O problema é que esses dois príncipes encantados parece que são muito espertos, apesar de ter um pai preguiçoso, que depende da gente pra fazer tudo, e só vive sentado e dando descarga, e cisma que temos que ficar gritando e batendo palmas pra ele, pra disfarçar o barulho que faz debaixo do trono; assim ele fica bem na fita. Ele é muito capacitado, por isso manda a gente fazer assim. E nos dá velas e cruzes e uma cartilha grossa que devemos ler todo dia de trás pra frente e de frente pra trás, pra decorarmos a estória desse reino maravilhoso, forte, e conselheiro.
Os príncipes encantados, por serem crias de uma obra perfeita, vivem brigando. Parece que um continua chegado nas cabritas daqui, e o outro se amarrou na idéia de ser suspendido no tronco.
A coisa desandou quando o outro, de sacanagem, chegou pro Tremendo e disse que o principezinho andava se amarrando em preferir só os jumentos; e tava com a idéia fixa de mandar todo mundo se entregar e entrar na onda dele. O negócio ficou feio lá por cima; e o monte de trovão e raio veio bater tudo em cima de quem? Dos filhos das cabras.
Aí é que fica o problema. Porque parece que nenhum dos dois gosta de estudar; mas o pai deles ao invés de resolver a picuinha deles (nessa eternidade), pra nossa sorte manda os dois virem cobrar de nós a leitura da malfadada cartilha.
É uma sina nossa, um karma; que será eterno enquanto dure.
Fim do final.