Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, novembro 10, 2008

Discreto charme das partículas elementares


Livro sobre partículas elementares vira programa da TV brasileira 

Via SBF: O discreto charme das partículas elementares, título publicado pela Editora Unesp, foi adaptado para a televisão e o resultado pode ser conferido no próximo dia 10 de novembro (segunda-feira), às 19h30, na TV Cultura. O objetivo, tanto do programa quanto do livro, é tornar acessível ao público leigo a Física das Interações Fundamentais. A data para a exibição da atração coincide com o “Dia Mundial da Ciência pela Paz e Pelo Desenvolvimento”, que leva o selo da ONU (Organização das Nações Unidas). 

Em O discreto charme das partículas elementares, a história das partículas elementares, as “pequeninas” como carinhosamente as trata a autora, Maria Cristina B. Abdalla, é reconstruída desde as primeiras descobertas na área e a alvorada da teoria quântica até as novas manifestações da matéria. Refaz, assim, a trajetória da mudança de modelos, que acontece sempre quando da descoberta de uma partícula, levando a Física das Partículas a se transformar no que é hoje denominado Modelo Padrão da Física de Partículas. 

Uma caminhada que persegue o mundo invisível dos quarks e léptons e avança até as grandes estruturas cosmológicas, sempre por meio de um estilo agradável, auxiliado por inúmeras ilustrações. Neste enlace do micro e do macrocosmo, Maria Cristina Abdalla nos desvenda as fascinantes “pequeninas” a partir das quais toda a matéria do universo observado é formada. 

No programa da TV Cultura de São Paulo, Marcelo Tas atua como um apresentador de TV, do tipo chapeleiro maluco, e leva a personagem principal, Rafael (Giovanni Delgado), para uma viagem em um mundo paralelo, com informações sobre átomos, elétrons, quarks, léptons e bósons mediadores e também sobre a teoria do big bang (uma das explicações para a origem do universo). Neste cenário, onde 70% dos espaços são digitais, os atores interagem quase que o tempo todo com o virtual, como se fosse um videogame onde o protagonista precisa passar por diferentes níveis. “O programa utiliza uma linguagem moderna e lúdica para tratar de um assunto que costuma ser árido para os jovens. Tudo isso, construído com uma diversidade de computação gráfica que contribui para ensinar e tornar a atração bem interessante visualmente”, comenta Ricardo Elias (dos premiados “De Passagem” e “Os 12 Trabalhos"), diretor da atração. 

Sobre a autora – Maria Cristina Batoni Abdalla é professora livre-docente do Instituto de Física Teórica da Unesp, em São Paulo. Foi professora associada do ICTP-Trieste, na Itália, e trabalhou no CERN, em Genebra, na Suíça. 

Nenhum comentário: