Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, outubro 10, 2007

A representacao social do cientista


Este texto pertence à discussão mensal na Roda de Ciência. Favor comentar lá no site da Roda.

Acredito que o estereótipo mais presente na cultura (popular ou não) é o cientista louco (ver aqui para o conceito e ver aqui para uma lista de personagens na industria cultural). Obviamente é um estereótipo que prejudica bastante os cientistas e o despertar de vocações científicas, especialmente entre mulheres.
Talvez seja tempo de discutir seriamente este estereótipo, pela carga de discriminação que contém: especialmente nos quadrinhos e desenhos animados dirigidos a crianças, em uma verdadeira lavagem cerebral, os vilões são intelectuais e muitas vezes cientistas, enquanto que os mocinhos possuem poderes "naturais" (não tecnológicos), mágicos, e pouco entendem de ciência. Na melhor das hipóteses, o cientista é um ajudante do herói, um ajudante meio atrapalhado por sinal.
Mas precisamos enxergar que este estereótipo não é a-histórico, ou seja, a representação social do cientista teve variações ao longo dos séculos. Um livro que traça essa evolução, os altos e baixos do status cultural da Ciência e dos cientistas, é "A Escalada da Ciência", de Brian L. Silver. Eu o recomendo fortemente, pois faz tempo que não encontrava um livro de divulgação científica com prosa tão gostosa e profundidade nada desprezível. Vejam o sumário abaixo:


A ESCALADA DA CIÊNCIA
Autor: BRIAN L. SILVER
Editora: EDITORA DA UFSC
Edição: 1ª.
Núm. Páginas: 772
ISBN: 9788532802385


Os editores lembram que o autor, falecido em 97, um pouco antes da publicação do livro, "têm consciência de que a ciência pode ter conseqüências desastrosas e insiste num diálogo mais frutífero entre a ciência e a filosofia, insistência que assume maior urgência dados os atuais avanços em genética" (clonagem, por exemplo). O tradutor, professor Arno Blass, ex-membro do Conselho Editorial da EdUFSC, sublinha que para qualquer pessoa interessada, mas intimidada pelo empreendimento científico, o livro prevê uma convidativa visão da disciplina em 774 páginas escritas de forma atraente e acessível. O fato de Brian ter produzido o livro sem diminuir a complexidade ou o poder aterrorizador da ciência, na opinião de Blass, é um feito admirável, que abre a porta à maior aventura intelectual da humanidade, e que revela as muitas maneiras em que a ciência modificou o modo como vemos o mundo e a nós mesmos. A Escalada da Ciência, esclarece o tradutor, é um misto de história e de filosofia de ciência". Misto quente. Quem quer divulgar a ciência, a tecnologia e a inovação tem obrigação de ler Brian L. Silver, por quem o tradutor teve, conforme confessa, uma "identificação à primeira leitura". Ambos têm algo raro em comum: são cientistas que escrevem.

Estoque: Esgotado.
Preço:
R$ 66,00


Esgotado? Enquanto esperamos uma reedição em português, pode-se comprar em inglês aqui.

Nenhum comentário: