Ocorreu um erro neste gadget

domingo, maio 31, 2009

Quem tem medo de Francis Collins?


Um post interessante no Effect Measure, que reproduzo abaixo apenas uns pedaços pois não conheço a política de copyright do Science Blogs.


In the view of New Scientist journalist Amanda Gefter, The Discovery Institute, high priests of Creationism as an allegedly rational enterprise, aren't really worried about Richard Dawkins. Presumably he's just a great fund raising device for them. The one who really scares the BeJesus out of them is biologist Francis Collins, the evangelical Christian rumored to be Obama's choice as next Director of NIH:

The Discovery Institute - the Seattle-based headquarters of the intelligent design movement - has just launched a new website, Faith and Evolution, which asks, can one be a Christian and accept evolution? The answer, as far as the Discovery Institute is concerned, is a resounding: No.

The new website appears to be a response to the recent launch of the BioLogos Foundation, the brainchild of geneticist Francis Collins, former head of the Human Genome Project and rumoured Obama appointee-to-be for head of the National Institutes of Health. Along with "a team of scientists who believe in God" and some cash from the Templeton Foundation, Collins, an evangelical Christian who is also a staunch proponent of evolution, is on a crusade to convince believers that faith and science need not be at odds. He is promoting "theistic evolution" - the belief that God (the prayer-listening, proactive, personal God of Christianity) chose to create life by way of evolution. (Amanda Gefter,New Scientist)

Gefter believes the Collins alternative has forced The Discovery Institute to admit their real motive is religious, not scientific. And she may be right. She's followed this closely for some time and interviewed many of the main figures, including last year's winner of The Templeton Prize, given for "Progress toward Research or Discoveries about Spiritual Realities."

O resto do post você pode ler aqui. O autor nota que a possível indicação do evangélico Collins para a chefia do NIH fez  alguns blogueiros de ciência ficaram meio arrepiados. Mas observa que Collins é uma pessoa razoável e não merece este tipo de patrulhamento.

Acho que esta é uma distinção interessante: existem pessoas religiosas (r) e pessoas não religiosas (~r), e existem pessoas razoáveis (R) e pessoas não razoáveis (~R), e as duas linhas divisórias não coincidem. Muita gente não percebeu que todas as religiões estão fraturadas e que a grande disputa por poder é entre os religiosos R e os ~R dentro de uma mesma religião. Um exemplo é a disputa entre a BioLogos Fundation de Collins e os think tanks fundamentalistas.

Eu conheço um monte de pessoas rR e ~rR, mas todos sabemos que a maioria dos leitores que comentam raivosamente em blogs científicos jornalísticos são pessoas r~R (o que é uma contradição, pois imagino que elas deveriam amar seu inimigos...).  Marcelo Coelho escreveu hoje uma importante coluna no Caderno Mais da Folha sobre isso, que discutirei aqui se a mesma for liberada para não assinantes.

Agora, o que eu não entendo são os ~r~R, ou seja, pessoas que usam argumentos falaciosos e inverdades históricas para criticar a religião. Afinal, não é necessário apelar para isso para se fazer uma boa crítica da religião. As pessoas ~r~R acabam tirando toda a luz do iluminismo (desculpem o trocadilho) e dando enorme munição para os r~R. Daí para serem retratadas como illuminatti potencialmente terroristas, como no estereótipo sobre cientistas que sem querer (?) o livro do Dan Brown (e o filme) cria, é um passo. Acho que todos precisamos lembrar que somos apenas humanos, nem anjos nem demônios...

PS: OK, OK, eu sei que no filme os cientistas terroristas illuminati não existem. Mas o filme acaba sugerindo na mente do espectador médio que se as culture wars entre ciência e religião continuarem,  um dia cientistas anti-religiosos poderiam se tornar terroristas. 

Talvez isso seja um reflexo da campanha do Dawkins: se vemos uma pessoa verbalmente violenta, inferimos que ela poderia se tornar fisicamente violenta, embora essa inferência não seja correta. Não podemos afirmar que o ateísmo de Marx e Engels "gerou" perseguições religiosas na URSS...   

Café com Letras


Como vocês podem ver aí na bara lateral, eu participo da Estante Virtual, com o sebo virtual Café com Letras. O nome vem de um saudosismo dos bons tempos que passei sem bolsa de mestrado mas trabalhava no Sebo Café com Letras, da Fátima e Patinha em São Carlos. Acho que o nome não tem copyright, mas em todo caso eu me lembro de uma conversa muitos anos atrás em que Patinha me autorizou a usar a marca. OK, eu sei que tem um Café com Letras famoso em BH, mas também acredito que eles não detém a marca...

OK, OK, na verdade Angélica que está fazendo o grosso do serviço (o sebo é apenas um hobby para mim), pois eu estou no regime de dedicação exclusiva da USP...  Apenas em maio vendemos 10% do nosso estoque (de apenas 150 livros), de modo que acho que a coisa funciona (e daria lucro se eu tivesse 1500 livros cadastrados). 

Fazemos também consignações para estudantes, ou seja, se você tem livros caros e que já usou, você pode anunciar o livro conosco (usar o nosso bom perfil de avaliações na Estante Virtual), daí se vender cobramos um porcentagem, etc. A combinar.

Como um exemplo, forneço abaixo a lista dos livros de biologia que temos. A lista original está aqui e a lista completa de nossos livros está aqui. Como não temos despesas com aluguel ou funcionários, sempre colocamos nossos preços como o menor da Estantante Virtual para aquele livro. Você pode conferir!


Título/AutorAnoEstanteEditoraPreço+ info
 Bioquimica-volume 1 
Albert L. Lehninger
1976BiologiaEdgard Blucher
R$ 28,00
 Fisiologia Animal - Mecanismos e Adapt... 
Eckert
2000BiologiaGuanabara
R$ 200,00
 Hibridação de Ácidos Nucléicos 
Francisco J. S. Lara Org
1995BiologiaSociedade Brasilei...
R$ 9,90
 Fundamentos Práticos de Taxonomia Zool... 
Nelson Papavero
1994BiologiaUnesp
R$ 34,90
 The Biology of the Brain - From Neuron... 
Rodolfo R. Llinás
1988BiologiaFreeman
R$ 14,00
 Biologia do Desenvolvimento 
Scott F. Gilbert
1995BiologiaSociedade Brasilei...
R$ 50,00
 Série Monografias no 3 - Árvores Evolu... 
Sociedade Brasileira de Gen...
1996BiologiaSociedade Brasilei...
R$ 19,90
 Série Monografias no 3 - Árvores Evolu... 
Sociedade Brasileira de Gen...
1996BiologiaSociedade Brasilei...
R$ 19,90
 Série Monografias Nº 6 Hemoglobina Fet... 
Sociedade Brasileira de Gen...
1998BiologiaSbg
R$ 15,00
 Cultivo de Camarões de Água Doce 
Wagner C. Valenti
1985BiologiaNobel
R$ 5,90
 

sábado, maio 30, 2009

Todos esses momentos se perderão no tempo, como lágrimas na chuva.


Na semana passada, em meio aos preparativos da Livre-docência, tive que cuidar das quatro crianças (Nice viajou para a praia).  Aproveitei para introduzir as meninas aos "clássicos", ou seja, filmes anteriores a 1990 (classificadas por elas como "velharias").

Então, pela primeira vez na vida, elas assistiram Tubarão, Contatos Imediatos do Terceiro Grau, Blade Runner e Alien, Oitavo Passageiro. Gostaram de Tubarão, acharam Contatos Imediatos um saco (acho que é mesmo!)  e a estética de Blade Runner só seria aproveitada por cinéfilos (pois o filme é considerado o primeiro filme de arte de FC). A propósito, a página do filme na wikipédia  está péssima, o autor ficou colocando suas interperetações pessoais sobre o filme em vez de adotar o padrão wiki. Será que alguém poderia consertar?

Mariana também comentou que na verdade o Alien era o nono passageiro, pois esqueceram de contar o gatinho da nave (e afinal, ou você conta todos os animais ou não conta, certo?). Lógica irrefutável.

Parece que, na onda das novas  "beginnings" das séries,  vai sair um novo Alien, antes da época de Sigourney Weaver... 


'Alien' pode ganhar história anterior ao filme de 1979
Longa se passaria antes do drama vivido nas telas por Sigourney Weaver.

terça-feira, maio 26, 2009

2009 - Memórias Perdidas (2009: Lost Memories)


Com o teste nuclear da Coréia do Norte, talvez valha a pena reler este artigo:

E=mc^2, \Delta H = D(H-H)$, and the end of civilization

100 years ago Einstein discovered $E=mc^2$, the secret energy stored in ordinary mass. $\Delta H = D(H-H)$ is the chemical energy released in chemical bond formation between two H atoms. The failure to recognize the enormously different energy scales in those two equations reflected in current events may start a chain reaction this very year, on the one-hundredths anniversary of Einstein's discovery, that leads to the end of civilization. Due to the confluence of a particular set of circumstances, this particular moment is more dangerous than any other in the history of nuclear weapons. Physicists have a special responsibility to do their utmost to prevent this from happening. This paper is a call to arms. A principle to underpin nuclear non-proliferation and enhance stability is advocated.
Subjects:Physics and Society (physics.soc-ph); Popular Physics (physics.pop-ph)
Cite as:arXiv:physics/0510036v1 [physics.soc-ph]

25/05/2009 - 19h35

Análise: Kim Jong-il, o playboy sedento por sexo


HÉLIO SCHWARTSMAN
da Equipe de Articulistas da Folha de S.Paulo

O ditador norte-coreano Kim Jong-il costuma ser pintado pela mídia internacional ora como um playboy sedento por sexo e conhaque, ora como um louco homicida em busca de armas atômicas. Ele parece de fato estar empenhado em construir um arsenal nuclear, mas dificilmente pode ser tachado de louco.

Muito pelo contrário, o "grande líder" --como se faz chamar pela mídia--, tende a ser um jogador bastante racional, que costuma a apostar --e ganhar-- com lances ousados. Foi assim que instituiu a política de chantagem atômica, pela qual negociava recuos em seu programa bélico em troca de ajuda financeira, apenas para, algum tempo depois, lançar uma nova ameaça e barganhar um novo preço.


Não sei se é impressão minha, mas existe também um renascimento do nacionalismo na Coréia do Sul, exemplificado por este recente filme de FC: 

2009 - Memórias Perdidas (2009: Lost Memories)

Em 2009 a Coréia não existe mais como país, é apenas parte do grande Império Japonês do qual Seul é a terceira maior cidade. Sakamoto que tem origem coreana é um policial do JBI (Bureau Japonês de Investigações) e é parceiro de Saigo, japonês, seu melhor amigo. Ambos são designados para investigar uma organização terrorista de origem coreana a "Confederação de Libertação da Coréia" que aparentemente pretende devolver a autonomia a Coréia. As investigações de Sakamoto acabam por gerar uma série de acontecimentos que o levam a uma incrível descoberta: A linha do tempo foi propositadamente alterada. Isso faz com que ele abandone sua lealdade aos japoneses e, a partir daí passe a ser cassado por seus antigos colegas principalmente por Saigo, seu melhor amigo, que foi enviado para detê-lo a qualquer custo. 2009 - Memórias Perdidas é uma ficção científica policial com muita ação, ótima história e excelentes efeitos, tendo feito grande sucesso em todo o mundo.

segunda-feira, maio 25, 2009

A Vingança de Natalie Portman





Natalie Portman aparece com visual nerd em novo filme

A atriz foi clicada durante as filmagens de 'Hesher' na Califórnia

A atriz Natalie Portman começa a filmar seu mais novo projeto, o longa "Hesher". E desta vez, Natalie também trabalhará por trás das cameras no posto de produtora.

O drama independente conta com a direção de Spencer Susser e terá Joseph Gordon-Levitt como protagonista. Ele viverá um jovem problemático que conhece um menino de 13 anos e seu pai, interpretado por Rainn Wilson.

A personagem de Portman será uma caixa de supermercado que mexe com o coração do garotinho.

"Hesher" tem previsão de estreia nas telonas americana para 2010.

Quando eu falei que era uma boa idéia, ninguém acreditou em mim...


Nenhum profeta é acreditado em sua própria terra, já dizia Jesus de Nazaré. Pois é, ano passado eu tive a idéia de que uma prática alternativa a dar esmola no trânsito, é dar livros e gibis, e falei isso para vários amigos e minha namorada. Só recebi risadas... Agora saiu uma reportagem sobre isso na Revista Escola. Satisfeitos?

OK, OK, minhas tentativas não foram todas bem sucedidas. Por exemplo, tentei dar um livro do Henry Miller para aquele cara com a perna amputado cujo ponto fica perto da Rodoviária de Ribeirão, mas ele me disse que a mulher dele não permitia a leitura de tais livros eróticos...   Por outro lado, o flanelinha do Teatro Dom Pedro II ficou bastante satisfeito quando complementei o R$1,00 com uma revistinha da Mônica usada (perguntei antes se ele tinha filhos). Interessante como pequenas conversas tornam o mundo mais humano...

Renovando a proposta, você pode conseguir revistas do Maurício de Souza por R$ 0,50 ou menos nos sebos da cidade (ou guardar as revistas e livros infantis dos seus filhos em vez de jogar fora). Leve sempre algumas no porta-luvas e dê para as crianças que pedirem um trocado. Eu aposto uma cerveja Colorado que elas vão sorrir e ninguém vai roubar o seu relógio, não... E, além disso, você vai estar contribuindo para a educação do Brasil.

Vale mais que um trocado

Ambulantes, pedintes e moradores de rua não esperam só por dinheiro dos motoristas parados no sinal vermelho. Sem pagar pra ver, eu vi.

"Dinheiro eu não tenho, mas estou aqui com uma caixa cheia de livros. Quer um?" Repeti essa oferta a pedintes, artistas circenses e vendedores ambulantes, pessoas de todas as idades que fazem dos congestionamentos da cidade de São Paulo o cenário de seu ganha-pão. A ideia surgiu de uma combinação com os colegas de NOVA ESCOLA: em vez de dinheiro, eu ofereceria um livro a quem me abordasse - e conferiria as reações. 

Para continuar a ler, clique no título.

Anel de Blogs Científicos chega aos 150 blogs


Chegamos aos 150 blogs cadastrados. Daqui para frente o processo de cadastramento deverá se acelerar, pois contamos com um novo aluno de Iniciação Científica trabalhando no ABC, o Lucas, que estará colocando os blogs de Portugal.

Lucas também dará início à coleta de dados estatísticos sobre a blogosfera. Se você quiser que o seu blog participe da pesquisa, inscreva-o no site do Technorati.

Caso seu blog ainda não esteja cadastrado, mande uma mensagem com o endereço em qualquer comentário do site:

domingo, maio 24, 2009

Zé Rodrix e FC

Do Trek Brasilis:


Morre o trekker e compositor Zé Rodrix

Por Fernando Penteriche | 22 maio, 2009

zerodrix2Morreu na noite de ontem (21/5) o cantor, compositor e trekker Zé Rodrix. Ele estava em casa, com a família, quando passou mal. O compositor foi levado às pressas ao Hospital das Clínicas, na capital paulista. O artista tinha 61 anos e, segundo a mulher, estava muito bem de saúde.

Zé Rodrix integrou o trio Sá, Rodrix & Guarabyra, que foi o expoente do rock rural nos anos 70. Também tocou com Tavito e com a banda Joelho de Porco.

Fã de Jornada nas Estrelas, Rodrix participou ativamente do movimento trekker nos anos 90 com várias aparições em convenções da Frota Estelar Brasil, realizadas em São Paulo. Na época, foi até chamado de “embaixador da Frota Estelar Brasil”, por seu livre trânsito entre os famosos, o que poderia ajudar na divulgação dos eventos dos fãs em nosso país.

O recém-lançado livro Almanaque Jornada nas Estrelas trouxe, na seção dedicadas aos fãs, um depoimento de Zé Rodrix. Confira abaixo:

Fãs “pré-históricos” no Brasil

No Brasil, os admiradores de Jornada sempre existiram, desde a sua primeira exibição, no final dos anos 1960. Entre eles, o cantor e compositor Zé Rodrix. “Jornada começou para mim na falecida TV Excelsior, ainda em preto-e-branco”, revelou o cantor e compositor em uma entrevista, “e desde então eu nunca mais perdi nenhuma das vezes em que o seriado passou no Brasil. Foi passando de estação e eu atrás. A primeira vez que vi o seriado a cores e descobri que o Sr. Spock era meio esverdeado foi um deslumbramento.”

sábado, maio 23, 2009

Vírus da nova gripe pode estar circulando há anos no mundo, diz estudo


Bom, a nova análise genética confirma a origem suína do vírus. Alguém ainda vai ficar brigando por causa do nome? É engraçado como, dado a quantidade enorme de chutes opinativos que estou dando neste blog sobre a gripe suína, ainda não errei nenhum! Isso é realmente surpreendente...


Análise genética revela semelhança com cepas conhecidas desde 1998.

Evolução do patógeno sugere que falhou acompanhamento de suínos.

Reinaldo José Lopes

Do G1, em São Paulo

Tamanho da letra

 

Ampliar FotoFoto: CDC/Reuters

Imagem do vírus H1N1 da gripe suína (Foto: CDC/Reuters)

O primeiro retrato molecular detalhado do vírus da nova gripe acaba de ser publicado online e pode tanto assustar quando trazer certo alívio, dependendo de como os dados são examinados. Uma equipe internacional capitaneada por Rebecca J. Garten, dos CDCs (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA), estudou dezenas de amostras da nova versão do vírus H1N1 e mostrou que ele pode ter passado por anos de evolução e multiplicação silenciosa antes do surto deste ano. Por outro lado, a análise confirma que, ao menos por enquanto, ele não tem as características necessárias para virar um assassino planetário.

 

O artigo científico descrevendo a análise foi liberado para a imprensa nesta sexta (22) pela revista especializada americana "Science". Trata-se de um procedimento inusitado para a prestigiosa revista, que normalmente dá aos jornalistas uma semana para avaliar as pesquisas originais, que ficam sob embargo. A "Science" justifica a exceção pelo grande interesse público e pela urgência de divulgar os dados.

 

Os pesquisadores explicam que era um bocado natural esperar que vírus de origem suína acabassem causando problemas como uma pandemia iminente. Os vírus da gripe circulam o tempo todo entre aves selvagens, aves domésticas, porcos e humanos. 

 

Nas últimas décadas, as formas de gripe circulando entre pessoas no planeta começaram a se distanciar geneticamente dos chamados vírus "clássicos" H1N1 presentes em porcos, que permaneceram mais ou menos "parados" em termos evolutivos, em especial no que diz respeito às características que levam à reação do sistema de defesa do organismo. Na prática, isso significa uma diminuição da imunidade das pessoas aos vírus vindos de porcos.

 

Oito pedaços

Vírus estão entre as criaturas mais simples do planeta. Por isso, é relativamente fácil entender a estrutura genética do H1N1. Pense num feixe de oito "palitos" (na verdade, fitas de RNA, molécula "prima" do DNA), que correspondem a 11 genes diferentes (em vez das dezenas de milhares em humanos).  Esse material genético enxuto contém tudo o que o vírus precisa para invadir células de animais e se multiplicar. E é com base nesses oito "palitos" ou segmentos que os cientistas conseguiram pistas sobre a origem da atual cepa.

 

Analisando sete amostras virais vindas do México e 44 oriundas de 13 estados dos EUA, eles determinaram que, dos oito segmentos que compõem o vírus, dois derivam de um ancestral que circula entre porcos da Europa e da Ásia, enquanto os outros seis são de vírus suínos detectados antes na América do Norte e na Ásia. Esses últimos vírus já eram resultado do chamado rearranjo triplo: a mistura de uma forma humana, outra suína "clássica" e outra oriunda de aves. O grau de "mestiçagem", portanto, é considerável.

 

"Os detalhes sobre os hospedeiros nos quais esses vírus circularam, bem como os eventos de rearranjo que levaram ao surgimento do novo vírus, são desconhecidos. Mas a relativa falta de vigilância sobre os vírus suínos, e o fato de que o gene ancestral mais próximo para os oito segmentos é sempre de origem suína, sugere que esse vírus pode ter circulado por criações de porcos sem ser detectado em algum lugar do mundo", escrevem os pesquisadores.

 

Outra pista sobre isso vem da comparação da atual cepa com vírus de gripe já conhecidos. Curiosamente, a maior semelhança aparece quando a comparação é feita com vírus isolados... há dez anos, em média. No entanto, mesmo nesses casos o parentesco é relativamente distante, o que sugere um período de evolução silenciosa antes que o atual vírus fosse detectado pela primeira vez.

 

Baixa diversidade

A análise também indica que há baixa variabilidade genética entre os vírus, ao menos por enquanto: é como se todos ainda fossem quase "irmãos gêmeos". Para os cientistas, isso sugere que todos os membros da atual cepa descendem de uma única infecção em humanos, ou então de infecções múltiplas causadas por vírus praticamente idênticos entre si. 

 

Mas a verdadeira boa notícia vem do fato de que não há sinais, ao menos por enquanto, de que o atual H1N1 seja transmitido com alta velocidade ou produza mortalidade aumentada em suas vítimas. Quando comparado a vírus conhecidos, ele não possui marcas genéticas de alta transmissão ou de letalidade. Nesses pontos, ele é muito parecido com o vírus "clássico" presente em porcos. Porém, isso deixa no ar um mistério: ainda não se sabe, então, como o vírus está tendo sucesso em se espalhar pela população humana.   

 

Análise crítica 

A pedido do G1, o biólogo Atila Iamarino, da USP, que faz doutorado sobre a evolução de vírus como o HIV e edita o blog Rainha Vermelha , comentou o estudo.

 

"Devemos dar crédito ao artigo por mostrar de onde vêm os pedaços do vírus e a presença de características importantes, como a ausência de mutações associadas à virulência. Mas ainda carecemos entender a dinâmica do vírus, se veio do porco ou apareceu direto em humanos, o crescimento dele, se foi rápido ou não e como se espalhou. Tudo isso faria diferença se esse vírus fosse agressivo." 

Iamarino disse que, nesse ponto, a pesquisa seria realmente crucial se fizesse

"uma análise do tamanho de população do vírus, através das sequências [genéticas]. Assim teríamos uma estimativa melhor do número de infectados e do tempo em que o vírus circula, com mais precisão".


PS: Eu não entendi o comentário do Átila. O que falta para confirmar que o vírus veio do porco?