Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, agosto 28, 2008

Física da Psicofísica


Blogando da Casa do Professor Visitante, na UNICAMP. Pelo fato de que a Casa estava cheia, acabaram por me dar uma suíte com banheira de hidromassagem! Espero que o preço seja o mesmo...

O colóqui que ministrei ontem no IF-Gleb Wataghin foi bom, graças ao Mauro.

Coloquei o seminário "Física da Psicofísica" (seminárioNature.pdf) no STOA.
Levei prejuizo? Sim, não deu para cobrir o taxi, mas valeu a pena...

quarta-feira, agosto 27, 2008

1000 sebos!


Muita gente não conhece a Estante Virtual, site de busca e compra online com mais de 1000 sebos. Clique aqui para entrar. Comprei uns livros baratinhos do Stanislaw Lem.
Achei também este áudio livro com a voz do autor na Amazon. Infelizmente, está fora de estoque.





terça-feira, agosto 26, 2008

Vaca se orienta pelo campo magnético da Terra, diz estudo


Logo alguém irá fazer um modelo de Ising para isso...
Foto: cálculos (biliares?) encontrados em vacas (bovis bezoar). Qual a relação entre cálculos e Cálculo? Veja aqui.



Fazendeiros e pessoas atentas do interior sabem que a maioria do gado, quando pasta, volta-se para a mesma direção. Muitos se perguntam o que determina esse alinhamento. Agora, um estudo publicado no periódico "Proceedings of the National Academy of Sciences" parece responder, pelo menos em parte, a essa questão. Para pesquisadores alemães e tchecos, o campo magnético da Terra é um dos principais fatores determinantes.
Morry Gash/AP
Vacas, que normalmente ficam na direção norte-sul, pastam em Wisconsin, nos EUA
De acordo com os cientistas, que analisaram fotos de satélite de milhares de bovinos ao redor do mundo e também fizeram estudos de campo, parece que o gado sabe como encontrar o norte e o sul.
A maior parte dos animais observados que pastava ou descansava tendia a alinhar os seus corpos em uma direção norte-sul, afirmou o estudo, conduzido por Hynek Burda e Sabine Begall, da Faculdade de Biologia na Universidade de Duisburg-Essen, na Alemanha.
A constatação se mantém verdadeira independentemente do continente em que o rebanho se localize, segundo eles. "O campo magnético da Terra tem de ser considerado como um fator", declararam.
O tema desafia os cientistas a descobrir por que e como estes animais alinham o corpo ao campo magnético, disse Begall.
"Naturalmente, a questão levanta se os seres humanos também apresentam um comportamento espontâneo", afirmou. O estudo levou Tina Hinchley, que cuida com o marido de uma fazenda leiteira no Estado de Wisconsin, EUA, a ter um novo olhar para uma foto aérea tomada de sua fazenda há alguns anos atrás. "As vacas estavam espalhadas por todos os lados do pasto e cerca de dois terços estavam na direção norte-sul", disse Hinchley.
Essa proporção é próxima da verificada pelos investigadores ao olhar para 8.510 bovinos em 308 pastagens. No estudo, entre 60% e 70% dos bovinos ficaram virados para a direção norte-sul, o que Begall chamou de "desvio altamente significativo de distribuição aleatória".
Meteorologia
A equipe de pesquisa observou que, quando há ventania, o gado tende a enfrentar o vento, e também tende a procurar o sol em dias frios. Mas os cientistas disseram que foram capazes de descontar os efeitos meteorológicos no estudo, analisando pistas como a posição do sol baseada em sombras.
"Esta é uma descoberta surpreendente", disse Kenneth J. Lohmann, do Departamento de Biologia da Universidade da Carolina do Norte. Lohmann, que não fez parte do estudo, advertiu, porém, que a pesquisa "é inteiramente baseada em correlações".
"Para demonstrar conclusivamente que os bovinos têm um senso magnético, algum tipo de manipulação experimental será eventualmente necessária", disse.

Como acabar com a cola na escola...


Acho que essa questão de cola precisa ser reavaliada... Não dá mais para ficar na corrida da Rainha Vermelha com os estudantes. Eu dou prova com consulta, para estimular o pessoal a ter anotações e material didático, mas não sei se isso diminui a cola...
Para evitar cola, escola na Austrália libera internet e iPod em provas
Uma escola de Sydney, na Austrália, resolveu abolir a cola nas provas, permitindo que os alunos buscassem informações durante os exames, por meio da internet, iPod ou telefones celulares. A idéia é preparar os alunos para a "vida real", em que eles poderão consultar diversas fontes de informação.
A Presbyterian Ladies' College está testando o modelo nas aulas de inglês, mas planeja utilizá-lo em outras matérias. Nas provas, os alunos podem usar a internet, ouvir podcasts em tocadores de MP3 ou ligar para um amigo ou parente pelo celular para tirar dúvidas sobre o conteúdo.
"No mercado de trabalho, eles não vão precisar uma quantidade enorme de informação na cabeça. O que eles precisam saber é acessar a informação de todas as suas fontes de maneira rápida e verificar a confiabilidade da informação", afirma a professora Dierdre Coleman, que coordena o projeto, ao jornal "Sydney Morning Herald".
Entretanto, não basta apenas copiar a informação. Nos exames, os alunos têm de citar as fontes dos dados, ou podem ser punidos por plágio

segunda-feira, agosto 25, 2008

Será que um dia entenderemos a Mecânica Quântica?


Convite à Fí­sica 2008 - quarta-feira, dia 27 de agosto, às 18 hs


Palestrante: Prof. Paulo Nussenzveig (IFUSP)
Local: Auditório Abrahão de Moraes

Iniciaremos a transmissão ao vivo a partir das 17 hs e 30 minutos a fim de poder resolver eventuaisproblemas de conexão. Favor entrar em contato pelo e-mail:convite@fma.if.usp.br,em caso de problemas.Lembramos que para assistir aos colóquios ao vivo basta ir ahttp://fma.if.usp.br/convite/web-cast/video-vivo.html.
É necessário possuir a última versão do programa Realplayer.
Os Organizadores
Departamento de Física Matemática
IFUSP
Dowloads do Convite à Física aqui.

quinta-feira, agosto 21, 2008

Polígamos


Ainda para a discussão do mês da Roda da Ciência: sociedades poligâmicas dominarão o mundo? Qual a taxa de fertilidade nos países muçulmanos?


21/08/2008 - 11h07
Homens polígamos vivem mais que monógamos, diz estudo
da Folha Online
Um estudo de pesquisadores britânicos observou que homens de países que permitem a poligamia --o casamento com mais de um parceiro-- vivem em média mais que aqueles que vivem em países onde a prática é proibida.
Cientistas da Universidade de Sheffield, no Reino Unido, perceberam que homens acima de 60 anos de 140 países poligâmicos têm uma expectativa de vida em média 12% maior que a de homens de 49 nações monogâmicas.
Os dados, obtidos a partir de relatórios da OMS (Organização Mundial da Saúde), foram calculados de maneira a desconsiderar fatores socioeconômicos nos diferentes países.
As conclusões foram apresentadas pela coordenadora da pesquisa, Virpi Lummaa, em um encontro internacional de estudos de comportamento em Ithaca, Nova York (EUA), e reproduzidas em reportagem da revista "New Scientist".
Explicações
Em sua exposição, a pesquisadora tentou encadear explicações para este fenômeno.
Teorias sobre a longevidade humana procuram explicar por que homens e mulheres vivem tanto. No caso das mulheres, a questão é entender por que a longevidade se estende muito além do fim do ciclo reprodutivo, encerrado na menopausa.
Algumas pesquisas apontam para o "efeito avó", afirmando que a chegada de netos serviria de estímulo para a longevidade das mulheres. Além disso, a chegada da menopausa permitira que se evitasse uma "concorrência" entre gerações de fêmeas.
No caso dos homens, os pesquisadores descartaram a existência de um "efeito avô" semelhante. Em vez disso, a longevidade se explicaria pelo fato de machos da espécie humana continuarem férteis mesmo em idades avançadas, disse Virpi Lumma.
Isto é exacerbado em culturas poligâmicas, nos quais homens têm filhos com diversas mulheres, em geral de diferentes idades.
A revista "New Scientist" destacou ainda que as explicações poderiam ser genéticas tanto quanto sociais.Por um lado, homens que continuam a ter filhos aos 60 ou 70 anos podem ser levados a tomar mais cuidado com sua própria saúde, já que têm mais bocas para alimentar, afirmou a revista.
Por outro lado, milhares de anos de evolução podem ter selecionado homens com maior longevidade em países poligâmicos.
Um pesquisador ouvido pela revista, Chris Wilson, antropólogo na Universidade de Cornell, em Ithaca, destacou também a influência que pode ter o cuidado de diversas mulheres cujo status social depende da boa saúde do seu marido.
"Não me surpreende que homens nessas sociedades vivam mais que homens em sociedades monogâmicas, onde eles ficam viúvos e ninguém cuida deles."

terça-feira, agosto 19, 2008

Animais possuem memes?

Dizem que a diferença entre os seres humanos e os animais é a capacidade de transmissão cultural...




Richard Black
Um golfinho selvagem está, aparentemente, ensinando seus companheiros a andar com a cauda, um comportamento normalmente apenas visto em animais que passaram por treinamento em cativeiro.
O grupo de golfinhos que andam com suas caudas foi visto na costa do sul da Austrália, perto de Adelaide.
Um deles, a fêmea Billie, passou algumas semanas em um local onde golfinhos são criados e adestrados 20 anos atrás, depois de ficar doente, e pode ter aprendido o truque no local.
Billie não recebeu treinamento no local, mas pode ter aprendido a se movimentar se apoiando sobre a cauda ao observar outros animais.
Agora, outras fêmeas do grupo também praticam o truque, raramente visto entre animais selvagens, e a dedução é que elas tenham aprendido com Billie.

Corvos se reconhecem no espelho, diz estudo
Da BBC Brasil
Pesquisadores alemães afirmam ter descoberto que pássaros da espécie pega-rabuda ("Pica pica"), da família dos corvos, conseguem se reconhecer no espelho.

A conclusão está em um estudo publicado na revista científica Plos Biology.
É a primeira vez que o fenômeno é observado em um não-mamífero.
Até cientistas comprovarem que a maioria dos orangotangos e chimpanzés tinham percepção da própria imagem, acreditava-se que o homem era o único animal com essa capacidade.

Estudo: corvo usa ferramenta para buscar comida

Um estudo publicado pela revista Science descobriu que o corvo da Nova Caledônia (Corvus moneduloide), considerado um dos mais inteligentes da espécie, utiliza ferramentas para buscar alimentos.
Por meio de microcâmeras instaladas nas aves, os cientistas da Universidade de Oxford observaram que, para localizar pequenos insetos no solo, elas usam pedaços de graveto e grama.
Os pesquisadores descobriram ainda que as ferramentas mais eficientes são guardadas pelos corvos para serem usadas posteriormente.

segunda-feira, agosto 18, 2008

Energia - Grandeza intervalar ou absoluta?



Neste paper muito interessante (e razoávelmente legível), consegui esclarecer uma dúvida que coloquei no fórum de Física da UFF:




Gravity and its Mysteries: Some Thoughts and Speculations
Authors: A. Zee
(Submitted on 14 May 2008 (v1), last revised 28 Jul 2008 (this version, v2))

Abstract: I gave a rambling talk about gravity and its many mysteries at Chen-Ning Yang's 85th Birthday Celebration held in November 2007. I don't have any answers.


Gravity, knowing about everything, is the only interaction sensitive to a shift of the Lagrangian by an additive constant. In classical physics, additive constants do not affect the equation of motion. In quantum mechanics, experiments typically measure only energy differences Delta E and not the energies themselves. The Casimir effect measures the change in vacuum energy Delta E before and after the mirrors are introduced, not the vacuum energy itself (as is sometimes erroneously stated.) But gravity knows about the vacuum energy 1/2 hw!
Is the zero point energy 1/2 hw real? I should think so, since it comes directly from the uncertainty principle. The textbook demonstration of reality is of course the liquidity of helium at zero temperature, but in fact, during the early days of quantum mechanics, many of the greats were skeptical. At the 1913 Solvay Congress Einstein declared that he did not believe in zero point energy, writing to Ehrenfest that the concept was “dead as a door nail.”
Pauli also had his doubts, but the experiment gamma + H2 → H + H convinced him. He was apparently the first to worry about the gravitational effect of the zero point energy filling space. He used for M the classical radius of the electron and concluded that the resulting universe “could not even reach to the moon!” With the passage of time people found “better” things to worry about and the issue was forgotten until Zel’dovich raised it again in the late sixties.

Reverberando Daniel Doro Ferrante:



Vou deixar uns vídeos excelentes, que tratam essa questão dum modo leve porém cuidadoso, com o carinho que elas merecem.
O primeiro deles é uma coleção de 8 vídeos, que capturam uma palestra dada pelo Professor Albert A. Bartlett, chamada “Population, Arithmetic, and Energy“.
O segundo, entitulado “How it all ends“, é um conjunto de 45 vídeos, um projeto do Professor Greg Craven para mostrar como é possível se avaliar o debate atual sobre as mudanças climáticas de modo racional e científico, mostrando claramente como é que se pode tirar conclusões científicas, sólidas e robustas, independentemente do [aparente] debate que alguns insistem em dizer que existe.
Eu espero que vcs se divirtam e passem a apreciar a profundidade de todas essas questões em jogo — por favor, coloquem seus comentários no Roda.

Link para o livro aqui.

"This book will be a milestone in the emerging discipline of climate change biology. No issue is more important for the global environment; the impressive line-up of experts here gives it definitive coverage."-Edward O. Wilson, University Research Professor Emeritus at Harvard University

sábado, agosto 16, 2008

Viva la Evolución

Só para provocar: Leo cita em um post o finado Roberto Campos:
Nas democracias, pequenos grupos de interesses especiais conseguem fazer barulhos desproporcionais e intimidar os representantes eleitos da maioria silenciosa. O fenômeno contemporâneo das ONGs ilustra bem as dificuldades.
As ONGs são meras organizações, associações ou clubes que se estabelecem por conta própria, dizem de si mesmas o que querem, e não estão sujeitas a eleições ou outro mecanismo formal de validação.
Roberto Campos era muito conhecido por suas falácias e raciocínio retórico. Acho que hoje a Econofísica o desmentiria fácil, fácil, por exemplo na questão do individualismo metodológico(postarei sobre isso semana que vem). Mas hoje eu gostaria de compartilhar com vocês um dos meus métodos para detetar de falácias.
Para isso, basta você copiar a afirmativa falaciosa e substituir termos chaves de modo que ela afirme agora algo contrário à ideologia do autor. Se a frase fizer sentido com um mínimo de mudanças, provavelmente é falaciosa. Exemplo:
Nas democracias, pequenos grupos de interesses especiais conseguem fazer barulhos desproporcionais e intimidar os representantes eleitos da maioria silenciosa. O fenômeno contemporâneo dos lobbies corporativos ilustra bem as dificuldades.
As empresas são meras organizações, associações ou clubes que se estabelecem por conta própria, dizem de si mesmas o que querem, e não estão sujeitas a eleições ou outro mecanismo formal de validação.
Sacaram?

Hamming - Por que tão poucos cientistas fazem contribuições significantes e tantos são esquecidos no longo prazo?




"The purpose of Computation is insight, not numbers." Richard W. Hamming

Nessa questão, minha opinião pessoal é que a distância de Hamming entre o cientista médio e Hamming é grande...


Richard Hamming
``You and Your Research''
Transcription of the
Bell Communications Research Colloquium Seminar
7 March 1986
J. F. Kaiser
Bell Communications Research
445 South Street
Morristown, NJ 07962-1910


At a seminar in the Bell Communications Research Colloquia Series, Dr. Richard W. Hamming, a
Professor at the Naval Postgraduate School in Monterey, California and a retired Bell Labs scientist, gave a very interesting and stimulating talk, You and Your Research to an overflow audience of some 200 Bellcore staff members and visitors at the Morris Research and Engineering Center on March 7, 1986.

his talk centered on Hamming's observations and research on the question ``Why do so few scientists make significant contributions and so many are forgotten in the long run?'' From his more than forty years of experience, thirty of which were at Bell Laboratories, he has made a number of direct observations, asked very pointed questions of scientists about what, how, and why they did things, studied the lives of great scientists and great contributions, and has done introspection and studied theories of creativity. The talk is about what he has learned in terms of the properties of the individual scientists, their abilities, traits, working habits, attitudes, and philosophy.

If you really want to be a first-class scientist you need to know yourself, your weaknesses, your strengths, and your bad faults, like my egotism. How can you convert a fault to an asset? How can you convert a situation where you haven't got enough manpower to move into a direction when that's exactly what you need to do?I say again that I have seen, as I studied the history, the successful scientist changed the viewpoint and what was a defect became an asset.
In summary, I claim that some of the reasons why so many people who have greatness within their grasp don't succeed are: they don't work on important problems, they don't become emotionally involved, they don't try and change what is difficult to some other situation which is easily done but is still important, and they keep giving themselves alibis why they don't. They keep saying that it is a matter of luck. I've told you how easy it is; furthermore I've told you how to reform. Therefore, go forth and become great scientists!

sexta-feira, agosto 15, 2008

Ciência, Tecnologia e Moda



Qualquer dia desses eu vou postar sobre o papel das modas na ciência, afinal participei de três delas: redes neurais artificiais, criticalidade auto-organizada e redes complexas. Hoje, faço o contrário, via Xis-Xis e Rastro de Carbono.

Dê uma olhada no blog Vem do Lixo, de Nana Hayne.

Acho que vou comprar esta camiseta na ThinkGeek...

Hackers


Os Hackers Linuk_plot Crew hackearam hoje a página do Anel de Blogs Científicos (ABC) e do Laboratório de Divulgação Científica (LDC). Será que o nosso tráfego é tão intenso assim para lhes dar tal exposição? Se for, esse hackeamento foi um (incômodo) elogio. Zedy está trabalhando para consertar as coisas... Dado que Zedy também é (ou tem capacidade para ser) um hacker, ele deve estar fulo da vida, pois ele diz que o ABC é o seu "bebê", e está concorrendo no Prêmio Jovem Cientista com este projeto.

Bem hoje que eu ia postar lá no LDC sobre o lançamento do Lablogatórios. Bom, deixa isso para semana que vem.

Para o post de hoje, faço cut and past de um post da Ísis Nóbile Diniz do Xis-Xis (mas é claro que você pode ler no blog dela, que é muito mais charmoso que o SEMCIÊNCIA...).

O “Comunicação“, jornal laboratório impresso da Universidade Federal do Paraná (UFPR), publicou uma matéria sobre os blogs que divulgam a ciência. Intitulada “Divulgação científica na blogosfera” foi escrita por Rodrigo Batista. Leia abaixo o início da matéria e ela inteira aqui.

Cientistas usam o meio virtual para divulgar pesquisas e democratizar o conhecimento

Com a internet a favor da comunicação rápida e massiva, os cientistas encontraram um novo meio de compartilhar seus conhecimentos com o mundo: a blogosfera, universo virtual que compreende todos os blogs. “Como dizia Edgard Roquete Pinto, um de nossos precursores no Brasil, a função primordial da divulgação científica é tirar a ciência dos sábios e entregá-la ao povo”, lembra a professora do Núcleo de Educação Química (Eduquim) da UFPR Joanez Aparecida Aires.

Os blogs possibilitam o acesso de leigos a trabalhos acadêmicos de forma instantânea e gratuita. O conteúdo científico exposto neles, em geral, é mais leve e próximo de quem o lê, porque não existe imposição de rigor formal como acontece nos artigos científicos. “É uma forma democrática de divulgação, afinal possibilita aos indivíduos que participem de decisões que envolvem toda a humanidade”, afirma Joanez.

Uma recente iniciativa bem-sucedida mostra o potencial da blogosfera. No início deste ano, um grupo de professores e alunos do Laboratório de Divulgação Científica (LDC) da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto, criou o Anel de Blogs Científicos (ABC – http://dfm.ffclrp.usp.br/ldc). Trata-se de um domínio virtual que reúne blogs que abordam os mais variados assuntos do meio acadêmico – de matemática a letras, de engenharias a ciências sociais. “Queremos ser um lugar de discussão para assuntos científicos, novas pesquisas e tendências”, explica um dos organizadores do projeto e estudante de Informática Biomédica da USP Gustavo Zedy Miranda Forte. A idéia surgiu durante o Prêmio Jovem Cientista de 2007, organizado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que tinha como tema Projetos de Divulgação e Popularização da Ciência e Tecnologia”.

A jornalista Isis Rosa Nóbile Diniz, especialista em divulgação científica, tem seu blog (xisxis.wordpress.com) vinculado ao ABC. Ela explica que existem dois tipos de leitores de ciência: os pesquisadores e os leigos que se interessam pelo assunto. A blogosfera é um campo para os dois. “Quem apenas gosta do assunto procura as informações com linguagem fácil. Já os pesquisadores querem se aprofundar por meios mais rápidos”. Para ela, a reunião de várias páginas em um único site é uma ótima ferramenta, não só para os pesquisadores tornarem públicas suas divulgações, mas também para se aproximarem de outros especialistas. Assim, podem compartilhar experiências e até estabelecer parcerias.

Foto: Orquídea Cattleya walkeriana tipo “Isis Diniz”, cultivada pelo Francisco Leitão.

quarta-feira, agosto 13, 2008

Sustentar o Desenvolvimento ou Desenvolvimento Sustentável?


Acho que neste tema existem duas acepções que deveriam ser distinguidas:
  1. Desenvolvimento Sustentável (DS1): um processo de desenvolvimento que se baseia em recursos renováveis (biocombustíveis, energia solar, energia hidroelétrica, fusão nuclear etc), de modo que o desenvolvimento pode se manter, mesmo que isso acarrete degradação do ambiente (por exemplo, com extinção de florestas tropicais). Aqui, quem se sustenta é o desenvolvimento.
  2. Desenvolvimento Sustentável (DS2): um processo de desenvolvimento que inclua a idéia de sustentabilidade do ambiente, ou seja, um processo onde a Tecnosfera entre em simbiose (mutualismo, para meus amigos biólogos) com a Biosfera para benefício mútuo. Aqui, quem se sustenta são tanto o ambiente humano como o natural.
    Cuidado que muitos políticos e economistas estão preocupados apenas com o DS1, ou seja, preocupações ecológicas só entram na medida que possam comprometer o desenvolvimento econômico.

Agora, precisamos discutir a idéia de desenvolvimento. Esqueçamos utopias de comunidades "em equilíbrio com a Natureza": uma rápida visita à São Tomé das Letras mostra o que quero dizer (examinem as crianças de lá, não os pais). Todo processo em equilíbrio equivale à morte, a vida é um processo fora do equilíbrio.

Vou colocar alguns cenários (de ficção científica?):

Desenvolvimento não sustentável, em qualquer acepção: Bom, se os recursos não são renováveis, e se seu uso não for substituido por outros, a longo prazo não é possível nem desenvolvimento econômico/social nem florescimento do ambiente natural. Mas seria preciso calcular qual seria esse longo prazo, pois afinal, no longo prazo a humanidade estará morta (a menos que se espalhe pela galáxia, mas daí o volume de recursos se amplia enormemente). Precisamos reconhecer que a colonização espacial não é factível a médio prazo (500 anos?), e o volume de gente a ser transportada sempre será pequeno comparado com a população da Terra.

Cenários com uso total de recursos renováveis: População humana crescente à taxa X, eficiência energética crescente à taxa Y, uso (ideal) de recursos renováveis.

  • No caso em que Y for maior que X, no sentido de que mais pessoas acessam à bens e serviços, sem afetar o ambiente.
  • Se X for maior que Y, teremos nova fase de revoluções socialistas, ou decadência social, ou retorno ao feudalismo, sociedade de castas etc. O ambiente também se degrada.
  • O equilíbrio X = Y implica manutenção do status quo, ou seja, os pobres continuam pobres para sempre. Por pobre entendo não uma pessoa privada de bens materiais, mas sim uma pessoa privada de opções de vida e de liberdade. Cuidado: jovens indígenas gostam de novas culinárias, remédios, tecnologia. Não querem ser preservados em um grande zoológico humano chamado reserva. E o Japão mostra que é possivel a preservação cultural sem abri mão da tecnologia. Como dizia nosso sábio carnavalesco, quem gosta de pobreza é intelectual...
  • Em todos esses casos, se X>0, o ambiente irá sofrer, pois mais humanos significa, mesmo com reciclagem total, mais espaço físico a ser ocupado. Por outro lado, se X < x =" 0" x =" 0.">

Para sermos mais otimistas, acho que deveriamos lembrar que o ser humano não é tão "malzinho" assim. Seres humanos atualmente gastam seu tempo, recursos e vida protegendo animais e plantas, mas você nunca verá tartarugas marinhas ou mico-leões trabalhando para ajudar os seres humanos (uma excessão é a relação mutualista entre golfinhos e pescadores na Mauritânia).

Bom, é claro que o o futuro será alguma combinação intermediária desses cenários. E para visualizá-los, confio mais nos escritores de ficção científica do que nos futurólogos científicos, pois a estes falta sempre imaginação...

Da Wikipédia: Tool use and culture

In 1997, tool use was described in Bottlenose Dolphins in Shark Bay. A dolphin will stick a marine sponge on its rostrum, presumably to protect it when searching for food in the sandy sea bottom.[40] The behavior has only been observed in this bay, and is almost exclusively shown by females. This is the only known case of tool use in marine mammals outside of Sea Otters.

An elaborate study in 2005 showed that mothers most likely teach the behaviour to their daughters.[41] Subsets of populations in Mauritania are known to engage in interspecific cooperative fishing with human fishermen. The dolphins drive a school of fish towards the shore where humans await with their nets. In the confusion of casting nets, the dolphins catch a large number of fish as well. Intraspecific cooperative foraging techniques have also been observed, and some propose that these behaviours are transmitted through cultural means. Rendell & Whitehead have proposed a structure for the study of culture in cetaceans,[42] although this view has been controversial (e.g. see Premack & Hauser).

Este post pertence à Roda de Ciência, tema de agôsto-setembro. Por favor, deixe seu comentário aqui.

segunda-feira, agosto 11, 2008

Texas Hold´em, Sociologia e Física Estatística

O que a Física Estatística e a Termodinâmica tem a ver com a Sociologia? Bom, o conceito de propriedades coletivas (ferromagnetismo e outras fases da matéria, especialmente as fora do equilibrio) é muito similar aos conceitos de representações coletivas de Durkhein e representações sociais de Moscovici (foto). Ou seja, esses autores tem uma visão termodinâmica da sociedade, onde o conhecimento fino dos indivíduos (átomos sociais) não é necessário para a compreensão de propriedades globais.

A visão social oposta é o individualismo metodológico. Se ele não enfatizar a força de interação entre os indivíduos, e que esta interação produz fenômenos coletivos não-lineares tais como "fases sociais", transições abruptas de comportamento coletivo etc, o IM corre o risco de se tornar uma teoria de gás ideal (partículas independentes) ou, no melhor dos casos, fracamente interagentes (teoria da perturbação), o que impossibilita a compreensão das transições de fase sociais, por exemplo.


Fenômenos coletivos como transições de fase (que já podem ser vistos em modelos simples como o gás de Van der Walls) mostram que o individualismo metodológico radical (comportameto social como soma - linear - do comportamento individual) é bobagem.


Então, a Física Estatística seria um individualismo metodológico esclarecido, onde os fenômenos coletivos que ocorrem devido à interação forte (sejam campos locais seja campos externos) poderiam ser estudados. Da mesma forma, a Física Estatística também pode ser vista como uma sociologia de representações coletivas das partículas onde, além de uma visão top dow termodinâmica, os modelos específicos seriam feitos em termos de partículas(agentes) mas onde as propriedades emergentes não são totalmente determiadas pela dinâmica microscópica (o ingrediente novo, não microscópico, é a quebra espontânea de simetria).

Ou seja, a Física Estatística não é nem reducionista nem holística, é ambas.

A new model of poker player behavior reproduces results from actual games
By Christopher Mims

Clément Sire isn't just a statistical physicist—he's also a champion bridge player. Combining his love of physics and games, he has created a model of the poker variant Texas hold 'em that enables him to do everything from predicting the length of a tournament to figuring out his ranking simply by assessing the average size of his opponents' fortunes.
It may seem like an odd way to spend his time. After all, isn't physics supposed to be about particle colliders and superconductivity? "Physicists," Sire explains, "are now more than ever involved in the study of complex systems that do not belong to the traditional realm of their science."

Sire, of the Laboratory of Theoretical Physics, University of Toulouse, France, published his work Universal Statistical Properties of Poker Tournaments on arXiv.org. He used real data from online poker tournaments and found that it matched the results of his model.

"What's exceptional about this paper is that Clément somehow took what seems to be a complex and mysterious system and quantified it [with the tools of statistical mechanics] in a very precise way," says Sidney Redner, a physicist at Boston University who works on related problems.

domingo, agosto 10, 2008

Como divulgar o seu blog ?


Dicas muito boas sobre divulgação de blogs podem ser encontradas nesta página do Interney:



Já colocou tudo o que você queria no seu blog e agora quer chamar o mundo para te visitar ? Algumas dicas:a. Leia os artigos:


23 idéias para encontrar novos leitores para o seu blog.


Como divulgar melhor o seu blog



Toque de Ciência


É uma pena mas dou aula na segunda feira, senão eu poderia dar um pulo em Bauru.

TOQUE DA CIÊNCIA: NOVO PORTAL DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA ESTRÉIA EM
11 DE AGOSTO



O Toque da Ciência, produto desenvolvido pelo Laboratório de
Estudos em Comunicação, Tecnologia e Educação Cidadã (Lecotec), da
UNESP, terá a estréia de seu portal eletrônico www.ciencia.inf.br às
20h do dia 11 de agosto de 2008, segunda-feira, na ocasião do 1°
Seminário Lecotec de Comunicação Científica, que acontece no
Auditório Antônio Manuel dos Santos da Universidade Estadual Paulista
"Júlio de Mesquita Filho", Campus de Bauru, situada à Avenida
Engenheiro Luiz Edmundo Carrijo Coube, 14-01.

A cerimônia de lançamento contará com a participação do diretor do
Departamento deMinistério da Ciência e Tecnologia e membro do Comitê
Temático de Divulgação Científica do MCT, Ildeu de Castro Moreira,
que proferirá conferência no local às 20h30.

O Toque da Ciência se destina à divulgação da produção científica
brasileira por meio de uma linguagem simples e atraente, com
periodicidade diária, contando com um acervo de mais de cem
programas. O formato é de um minuto e meio de duração, com o relato
do processo de pesquisa pelo próprio pesquisador, aproximando público
e cientista e tornando eficaz a comunicação e os fins da divulgação
científica. "O Toque da Ciência procura fazer pequenas inserções de
ciência no cotidiano do brasileiro e, desta forma, devolver à
população investimentos públicos em pesquisa, em forma de
conhecimento. ", afirma o coordenador do projeto, Juliano Maurício de
Carvalho.

O projeto conta com financiamento do CNPq e da universidade, por
meio da Pró-Reitoria de Extensão e do Programa Ciência na UNESP.

Os programas produzidos serão distribuídos para rádios
comunitárias, educativa, públicas ou comerciais do Brasil inteiro que
tenham interesse em divulgar a ciência em sua programação. Rádios que
estejam interessadas em veicular os programas devem se cadastrar
diretamente no site por meio da URL:
http://www.faac.unesp.br/pesquisa/lecotec/projetos/toque/cadastros_emissora.php

Acesse: www.ciencia.inf.br
Contato: toque@faac.unesp.br
Fone: (14) 3103.6168

Universidade Estadual Paulista - UNESP/Bauru
Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação - FAAC

sábado, agosto 09, 2008

Ainda a culinária


OK, OK, eu sei que este blog é meio auto-centrado (originalmente todos os blogs eram!). Está explicito aí em cima na descrição do blog que é sobre a minha vida científica e a dos meus amigos. Ou seja, a falta de modéstia é proposital, é mais uma espécie de "tipo" ou "persona" do blog, não é algo irrefletido, OK?

Então aqui vai para registro a carta que recebemos do editor do New Journal of Physics:
Subject: Your article has been downloaded 250 times!


Dear Dr Roque,

I am pleased to tell you that your article, "The non-equilibrium nature of culinary evolution", in New Journal of Physics, Vol 10, pp073020 (2008), has been downloaded 250 times so far.

This was achieved in 12 days from the date of publication. To put this into context, across all IOP journals 10% of articles were accessed over 250 times this quarter.

You can link directly to your article at:
http://stacks.iop.org/1367-2630/10/073020

I would like to thank you for supporting New Journal of Physics and I trust that you have found our publication process to be friendly and efficient. I hope you will consider submitting further papers to the journal and encourage your colleagues to do likewise.

Our publication times are highly competitive and we use a fully electronic editorial process from submission to peer review to production. Electronic submission to Institute of Physics journals can be done very simply at the following web page:
http://www.iop.org/journals/authorsubs


We look forward to working with you again. If you have any queries about the journal, please don't hesitate to contact me.
If you would prefer not to receive further updates on the number of times this article has been downloaded, please reply to this email with the word remove in the subject line.

Kind regards

Tim Smith
Publisher
New Journal of Physics
Marcelo Leite, do Ciência em Dia da Folha, foi criticado pelos leitores quando comentou no Caderno Mais (e no blog então no UOL) o nosso artigo. Reclamaram, talvez com razão, que ele estava comentando um paper que não havia passado ainda pelo processo de peer review (a nova versão é um pouco melhor que a que está no depositório de preprints ArXiv) embora fosse um artigo comentado no site jornalístico Nature News.

Talvez uma opção para o comentário de artigos ainda não publicados seria pedir, jornalisticamente, a opinião de outros pesquisadores da área.

quarta-feira, agosto 06, 2008

Gitarrista do Queem inspira leiga a fazer descoberta astronômica


Uma interessante notícia sobre o efeito da divulgação científica na própria ciência. Não vou reproduzir porque tem copyright, mas dou o link:




Interessante que a leiga que descobriu o objeto foi motivada pelo livro Bang - A História Completa do Universo, escrito pelo guitarrista do Queem Brian May, que acaba de defender sua tese de doutorado iniciada em 1972 (!). Veja aqui a nota:


Novo tema na Roda de Ciência


Do João Carlos, Roda de Ciência:




Salve, Pessoal!

Me antecipei um pouco e estou botando, desde já, o novo tema para agosto / setembro em votação. Minha intenção é encerrar a enquete às 12:00h (de Brasília) no próximo domingo 10 de agosto. (A idéia é "encurtar" os prazos, para voltar a fazer os temas coincidirem com o calendário).

Vou pedir a todos os participantes um favor: publiquem em seus Blogs uma notícia sobre esta enquete (ponham o link para o "Roda de Ciência" nele) e convidem seus leitores a votarem também.

Os leitores ocasionais do "Roda de Ciência" que não são contribuintes, também podem (e devem) votar: vocês são a razão de ser deste Blog; isto aqui não é um Grupo de Discussão Fechado. E também podem (e devem) sugerir temas que gostariam de ver discutidos (usem os "comentários" a este post para registrarem seus pedidos - o Blog aceita comentários "anônimos", se você for tímido a esse ponto...)

Então, estão valendo para a votação para o próximo tema, as seguintes opções:



  1. Conservação da biosfera: estética ou sobrevivência?


  2. Grandes novas idéias e descobertas


  3. Fontes alternativas de energia


  4. Crise mundial de alimentos vs. biocombustíveis


  5. Desenvolvimento sustentável: é realmente possível?


By the way: em breve, teremos um novo contribuinte. O "Blogue do Roque", do Antônio Roque. Logo que ele informar qual o email para o convite formal, os links vão aparecer na barra lateral.

Vamos lá pessoal! Votem!

terça-feira, agosto 05, 2008

Blogue do Roque


Roque iniciou um blog pessoal. Um trecho do primeiro post:
Antes de terminar esta primeira postagem, devo dizer que também hesitei muito entre criar meu blogue em inglês ou em português. A opção pelo inglês se justificaria pelo fato de ela ser a língua franca dos tempos atuais, como foi o latim na Idade Média, o que permitiria a divulgação do conteúdo do meu blogue entre um número potencialmente muito maior de pessoas. Já a opção pelo português, aquela que acabei escolhendo, se deve ao fato -- mais a uma esperança, eu diria -- de que este blogue possa oferecer alguma contribuição à discussão e à divulgação de idéias, principalmente científicas, entre os povos lusófonos. Como professor universitário e pesquisador, já uso o inglês como língua de comunicação na maioria dos textos e apresentações científicas que faço. O português, porém, fica restrito às aulas e temas do cotidiano. Não estou com isso querendo dizer que estas últimas sejam atividades menores, muito pelo contrário, mas apenas que pretendo trazer para este blogue alguns temas científicos que gostaria de ver discutidos em português além de em inglês.
O blog já está colocado no Portal ABC. Longa vida a este novo blog...

sábado, agosto 02, 2008

Física e Mulheres


Via N-Dimensional:


0. A Gravitação Newtoniana é sua namorada do Ensino Médio. Assim como seu primeiro contato com a Física, ela é fantástica. Você nunca vai esquecê-la, mesmo que ainda não mantenha muito contato.

1. A Eletrodinâmica é sua namorada da faculdade. Bastante complexa, você provavelmente não vai sair com ela tempo suficiente pra entendê-la.

2. A Relatividade Especial é a garota que você encontra numa festa enquanto está saindo com a Eletrodinâmica. Vocês transam. Não é realmente traição porque isso não se repete. Mas você tem a ligeira impressão que ela conhece a Eletrodinâmica e contou tudo para ela.

3. A Mecânica Quântica é a garota que você encontra num Sarau. Todo mundo pensa que ela é realmente interessante e gente que você nem conhece é obcecada por ela. Você saem juntos. Acaba que ela é bastante complicada e tem alguns problemas. Mais tarde, depois que vocês terminam, você se pergunta se toda aquela aura de mistério era só confusão.

4. A Relatividade Geral é sua namorada de Ensino Médio já crescida. Cara, ela é fantástica. Você meio que se arrepende de não ter mantido contato. Ela odeia a Mecânica Quântica por alguma razão obscura.

5. A Teoria Quântica de Campos é estrangeira, mas não tem muito sotaque. Você se apaixona profundamente, mas ela o trata horrivelmente. Você tem certeza que ela está saindo com metade dos seus amigos, mas você não se importa. Você sabe que isso vai acabar mal.

6. A Cosmologia é a garota que não namora muito, mas tem muitos amigos. Algumas pessoas namoram com a Cosmologia só para sair com seus amigos.

7. A Mecânica Analítica Clássica é um pouco mais velha, e sabe de coisas que você não sabe.

8. A Teoria de Cordas tem um mundinho próprio. Ela é ou profunda ou insana. Se vocês começarem a sair, você nunca mais vai ver seus amigos. É só Teoria de Cordas, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Traduzido de Physical Theory as Women.

Seria interessante ter uma versão deste texto feito por uma física. Alguém se dispõe?

Photo: Lisa Randal. Da Wikipedia: Randall studies particle physics and cosmology at Harvard University, where she is a professor of theoretical physics. Her research concerns elementary particles and fundamental forces, and has involved the study of a wide variety of models, the most recent involving extra dimensions of space. She has also worked on supersymmetry, Standard Model observables, cosmic inflation, baryogenesis, grand unified theories, general relativity. Randall's book Warped Passages: Unraveling the Mysteries of the Universe's Hidden Dimensions was included in the New York Times' 100 notable books of 2005.

Whyville


Se você tem dificuldade de ler em inglês, aperte o botão Babel-Fish aí na barra lateral.

Whyville is an educational Internet site geared towards preteens and children. Its goal is to engage its users in learning about a broad range of topics, from science and business to art and geography.

The game is reported to be one of the most popular virtual worlds with a player base of 3 million.[1]

As a simulation based virtual world, Whyville's users engage in games and roleplay sponsored by a wide range of governmental, non-profit, and corporate entities. Launched in 1999, by Numedeon Inc, Whyville was one of the first virtual worlds for children, and is one of the few virtual worlds whose purpose is primarily educational.

Numedeon Inc was founded by Dr. James M. Bower his students and collaborators at the California Institute of Technology interested in ways in which the Internet and simulation-based serious gaming could change education.

Contents

Nova fase do ABC


Amigos blogueiros do Brasil e Portugual (e outros paises de língua portuguesa): durante os próximos meses o ABC terá uma atuação mais ativa. Desenvolveremos as seguintes fases:

  1. Mapeamento da blogosfera científica brasileira (com coleta de rank Technorati dos blogs mensalmente);
  2. Mapeamento da blogosfera científica portuguesa e de outros países de lingua portuguesa (também com coleta de estatísticas).

Esse mapeamento ativo significa que iremos tentar detectar blogs relevantes e colocar link para os mesmos, sem a necessidade do blog se inscrever no ABC. Assim, se você NÃO quer um link para o seu blog (!), escreva para forte@fmrp.usp.br .

Pedimos paciência aos nossos amigos de Portugual enquanto não iniciamos a fase 2 (isso tem a ver com o cronograma do nosso projeto). Mas é claro que iremos colocando aqui blogs que solicitarem sua inclusão (como já existem alguns). Enquanto isso, qualquer leitor pode acessar os blogs de Portugal através do ótimo portal Blogs de Ciência (que inspirou a criação do ABC).

Update: Um novo logo foi escolhido para o portal - os Anéis Borromeanos. Além de suas interessantes propriedades matemáticas (por exemplo, o corte de qualquer anel faz com os outros fiquem desligados), desde tempos antigos estes anéis simbolizam que existe força na unidade.